sicnot

Perfil

Mundo

A literatura extremista do assassino de Jo Cox

As autoridades britânicas encontraram objetos nazis e literatura de extrema-direita - que incluem instruções para fazer uma pistola do zero - em casa de Thomas Mair, o suspeito de ter assassinado Jo Cox, a deputada britânica.

Thomas Mair

Thomas Mair

Sabe-se que Thomas Mair comprou livros neonazis, que incluem guias de como se constrói armas e explosivos a partir do zero.

Segundo fontes da polícia, o suspeito estava lúcido quando foi entrevistado pela primeira vez, deixando saber que o crime foi planeado.

As testemunhas confirmaram também que Thomas Mair gritou "Britain first" no momento em que atacou Jo Cox, a deputada britânica que tinha 41 anos e dois filhos.

Britain First é o nome dado a um partido britânico de extrema-direita.

Depois do ataque, o Partido veio declarar que não esteve envolvido no ataque e que "nunca encorajaria um comportamento deste tipo".

Os recibos encontrados em casa de Mair - alguns da década de 90 - mostram que o suspeito gastou 436 libras (cerca de 550 euros) em livros de extrema-direita, onde é defendida a criação de uma pátria ariana e a erradicação dos judeus.

Outros recibos mostram que Mair comprou "Ich Kämpfe", um livro de ilustrações do Partido Nazi de 1942, munições, pólvora e várias subscrições de publicações extremistas.

  • Cameron lamenta a morte de Jo Cox e cancela viagem
    1:50

    Brexit

    Após a notícia da morte de Jo Cox, as reações chegaram a todo lado e invadiram as redes sociais. David Cameron lamentou a morte de Jo Cox através do Twitter, e antes já tinha cancelado a viagem a Gibraltar, ao saber do ataque à deputada. O primeiro-ministro britânico recordou ainda Cox como uma mulher corajosa. O líder trabalhista Jeremy Corbyn falou num partido emocionado com a perda. Já Alexis Tsipras escreveu que o ódio e os nacionalismos são inimigos comuns à Europa.

  • Reino Unido em choque com homicídio de Jo Cox
    3:12

    Brexit

    O Reino Unido está em choque com o homicídio da deputada do partido trabalhista, considerada o rosto de uma nova geração de políticos. A tragédia de Jo Cox pode ter grande impacto no referendo sobre a saída da Grã-Bretanha na União Europeia.

  • Luaty Beirão satisfeito com sinais de mudança de paradigma em Angola
    4:03

    Mundo

    Sete meses depois da tomada de posse de João Lourenço como presidente de Angola, o país vive um tempo de revoluções. Mudanças inéditas que, nas palavras do ativista Luaty Beirão, permitem ter esperança num futuro melhor. O músico esteve em Lagos, a convite da Câmara Municipal, para falar sobre Livros e Liberdade.

  • O portal onde pode consultar certidões e outros documentos sem sair de casa
    7:37
  • Presidente da Comunidade de Madrid demite-se depois da divulgação de vídeo de roubo
    1:27