sicnot

Perfil

Mundo

Autoridades de Istambul proíbem marcha gay por razões de segurança

As autoridades de Istambul anunciaram esta sexta-feira que não autorizarão este ano a marcha gay prevista para o final do mês na maior cidade da Turquia para "manter a segurança e a ordem pública".

© Amir Cohen / Reuters

A administração local indica num comunicado ter tido conhecimento do projeto de realizar a marcha a 26 de junho, em pleno Ramadão, apelando aos cidadãos para respeitarem os avisos das forças de segurança.

A tradicional "marcha do orgulho gay" de Istambul já se realizou 12 vezes, nela participando milhares de pessoas em defesa dos direitos das minorias LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgéneros). É a mais importante do género num país muçulmano do Médio Oriente.

Ao contrário do habitual, o ano passado a polícia utilizou balas de borracha, gás lacrimogéneo e canhões de água contra os participantes, mesmo antes do desfile começar, para obrigar a multidão a dispersar.

A Turquia tem sido palco desde o início do ano de uma série de atentados, um dos quais, atribuído ao Daesh, ocorreu na grande rua comercial da cidade, a Istiklal, no percurso do desfile gay.

Por outro lado, um grupo de ultranacionalistas turcos pediu no início da semana às autoridades para cancelarem a iniciativa, alertando que se encarregariam de a impedir se o seu apelo não tivesse resposta.

Lusa

  • A derrota que envergonhou a Argentina e apurou a Croácia

    Mundial 2018 / Argentina

    A Croácia garantiu esta quinta-feira a passagem aos oitavos de final do Mundial 2018. A seleção croata bateu a Argentina por 3-0 e deixou os sul-americanos com as contas do apuramento muito complicadas. Veja aqui os golos e os principais lances do encontro.

  • A "saída limpa" da Grécia ao fim de oito anos de resgates
    0:54
  • Lisboa vence prémio Capital Europeia Verde de 2020

    País

    A cidade de Lisboa venceu o prémio de Capital Europeia Verde de 2020, anunciou o comissário da União Europeia para o Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas, Karmenu Vella, numa cerimónia que decorreu em Nijmegen, na Holanda.

  • Trump culpa democratas pela separação de pais e filhos
    0:22
  • Melania quer famílias reunidas "o mais rápido possível"
    0:35

    Mundo

    A primeira dama dos Estados Unidos fez uma visita surpresa a um centro de detenção de crianças, na fronteira com o México. As imagens mostram a mulher de Donald Trump reunida com responsáveis, não se sabendo para já se Melania teve ou não contacto direto com algumas das crianças detidas.