sicnot

Perfil

Mundo

Autoridades de Istambul proíbem marcha gay por razões de segurança

As autoridades de Istambul anunciaram esta sexta-feira que não autorizarão este ano a marcha gay prevista para o final do mês na maior cidade da Turquia para "manter a segurança e a ordem pública".

© Amir Cohen / Reuters

A administração local indica num comunicado ter tido conhecimento do projeto de realizar a marcha a 26 de junho, em pleno Ramadão, apelando aos cidadãos para respeitarem os avisos das forças de segurança.

A tradicional "marcha do orgulho gay" de Istambul já se realizou 12 vezes, nela participando milhares de pessoas em defesa dos direitos das minorias LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgéneros). É a mais importante do género num país muçulmano do Médio Oriente.

Ao contrário do habitual, o ano passado a polícia utilizou balas de borracha, gás lacrimogéneo e canhões de água contra os participantes, mesmo antes do desfile começar, para obrigar a multidão a dispersar.

A Turquia tem sido palco desde o início do ano de uma série de atentados, um dos quais, atribuído ao Daesh, ocorreu na grande rua comercial da cidade, a Istiklal, no percurso do desfile gay.

Por outro lado, um grupo de ultranacionalistas turcos pediu no início da semana às autoridades para cancelarem a iniciativa, alertando que se encarregariam de a impedir se o seu apelo não tivesse resposta.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52