sicnot

Perfil

Mundo

Cinco anos de prisão para antigo guarda de Auschwitz pela morte de 170 mil judeus

O antigo guarda de Auschwitz Reinhold Hanning, de 94 anos, foi hoje condenado a cinco anos de prisão pela cumplicidade na morte de 170 mil judeus entre janeiro de 1943 e junho de 1944.

 Reinhold Hanning

Reinhold Hanning

BERND THISSEN / POOL

"O acusado é condenado a cinco anos de prisão por cumplicidade na morte de 170 mil pessoas", indicou o tribunal de Detmold. "Ele sabia que em Auschwitz pessoas inocentes estavam a ser assassinadas todos os dias nas câmaras de gás", acrescentou o tribunal.

A acusação tinha pedido seis anos de prisão por considerar que, na sua qualidade de guarda prisional em Auschwitz, Reinhold Hanning era plenamente consciente e cúmplice dos assassinatos aí cometidos.

A defesa pediu a absolvição, com o argumento de que Hanning nem torturou nem participou diretamente nos assassinatos, além de que não consta que tenha servido na "rampa da morte" ou na seleção dos presos destinados à câmara de gás.

"Sinceramente arrependido"

Ouvido em tribunal a 29 de abril, Reinhold Hanning afirmou estar "sinceramente arrependido".

"Tenho vergonha de ter deixado esta injustiça acontecer e de nada ter feito para o impedir. Estou sinceramente arrependido", declarou no tribunal de Detmold, onde está a ser julgado desde 11 de fevereiro.

Jovem operário recrutado aos 18 anos pelas Waffen SS (força militar do partido nazi de Adolf Hitler), Hanning combateu nos Balcãs e na frente russa antes de ser transferido, no início de 1942, para Auschwitz. Colocado no campo de concentração de base Auschwitz-I, também fiscalizava a zona do cais de chegada de Birkenau (Auschwitz-II).

No 13º dia do seu julgamento, durante o qual manteve sempre silêncio, Hanning lamentou ter pertencido a uma organização responsável pela morte de incontáveis famílias e inocentes.

Antes, os seus advogados tinham lido um texto de 23 páginas sobre a juventude e o envolvimento do seu cliente, no qual ele reconhece ter tido conhecimento dos assassínios em massa realizados em Auschwitz. O texto retrata igualmente um acusado apolítico que nada pode fazer contra a sua incorporação nas SS.

"Auschwitz foi um pesadelo. Gostaria de nunca lá ter estado", conclui o texto.

  • Manuel Valls diz que Trump fez declaração de guerra à Europa

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro francês Manuel Valls, aspirante a candidato socialista às presidenciais deste ano, considerou esta segunda-feira como uma "declaração de guerra" as afirmações do futuro Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a União Europeia.

  • Morreu o último homem que pisou a Lua

    Mundo

    O astronauta norte-americano Eugene Cernan, o último homem a pisar a Lua, morreu esta segunda-feira aos 82 anos, informou a agência espacial norte-americana, NASA.

  • Novo motim em prisão brasileira do Rio Grande do Norte

    Mundo

    Um motim ocorreu esta segunda-feira de madrugada numa prisão do estado brasileiro de Rio Grande do Norte, sem fazer feridos ou mortos, depois de uma rebelião numa outra prisão do mesmo estado ter feito 26 mortos no fim de semana.

  • Cheias e derrocadas destroem várias casas no Peru
    0:42

    Mundo

    Um deslizamento de terras seguido de uma inundação destruiu várias casas no Peru. As imagens mostram o momento em que o deslizamento acontece e o caos que se gerou. O trânsito ficou cortado e as inundações que se seguiram obrigaram várias pessoas a abandonar as suas habitações.