sicnot

Perfil

Mundo

Funeral de bombeiro morto no 11 de setembro de 2001 realizou-se hoje

Um dos bombeiros desaparecidos em serviço no combate às chamas do World Trade Center, em 11 de setembro de 2001 em Nova Iorque, teve hoje o seu funeral, quase 15 anos depois do seu desaparecimento.

Bill DeBlasio, presidente da câmara de Nova Iorque, chega ao funeral de Lawrence Stack, que morreu no 11 de setembro.

Bill DeBlasio, presidente da câmara de Nova Iorque, chega ao funeral de Lawrence Stack, que morreu no 11 de setembro.

Frank Eltman

A família de Lawrence Stack, que teria hoje 58 anos, organizou o funeral, sem esperanças de o voltar a encontrar, depois de ter recuperado duas amostras de sangue do bombeiro, que ele deu para ser dador de medula óssea.

O funeral realizou-se em Long Island, em Nova Iorque, e teve a presença de centenas de bombeiros, do presidente da Câmara Nova Iorque, Bill de Blasio, e do chefe dos bombeiros de Nova Iorque, Daniel Nigro.

"Ele sobreviveu ao colapso da torre sul e continuou a ajudar corajosamente outros. Estava a ajudar um cidadão quando foi destruída a torre norte, matando os dois", disse Nigro no discurso de homenagem,

O casaco do bombeiro de Nova Iorque foi encontrado no local, mas sem vestígios do corpo.

Os atentados de 11 de setembro, organizados pela Al-Qaida, fizeram quase três mil mortos, mas só 1.637 das vítimas foram encontradas e identificadas.

Dos bombeiros que tentaram ajudar na tragédia, 343 morreram e 127 nunca chegaram a ser encontrados.

Lusa

  • Admissão de efetivos nas Forças Armadas aquém do pedido pelas chefias
    1:42

    País

    O Ministério das Finanças autorizou a admissão de mais efetivos nas forças armadas, este ano mas a integração fica muito abaixo do número pedido pelas chefias militares. Mário Centeno só terá autorizado a integração de cerca de três mil militares em vez das cinco mil vagas propostas pelas chefias do Exército, Força Aérea e Marinha.

  • Primeiro eclipse solar 100% visível nos EUA em 38 anos
    0:40
  • Pyongyang acusa Washington de atirar "achas para a fogueira"
    1:47

    Mundo

    A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram esta segunda-feira exercícios militares conjuntos. As manobras militares procuram ensaiar respostas a uma hipotética invasão da Coreia do Norte. Pyongyang já reagiu e diz que Washington está a atirar "achas para a fogueira". 

  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08
  • Morreu o rei da comédia
    2:08

    Cultura

    Um dos grandes nomes do humor norte-americano morreu ontem, aos 91 anos. Jerry Lewis era comediante, ator, argumentista, cantor e realizador. Considerado o rei da comédia, Lewis influenciou diferentes gerações de comediantes e foi defensor de várias causas humanitárias, entre as quais a distrofia muscular.

  • A insólita entrevista de Jerry Lewis que se tornou viral
    2:39

    Cultura

    Jerry Lewis concedeu no início deste ano uma entrevista insólita que se tornou viral nas redes sociais. O comediante decidiu, pura e simplesmente, não colaborar com o entrevistado. Lewis tinha na altura 90 anos e continuava a trabalhar, tendo participado no filme "Max Rose", em 2016.