sicnot

Perfil

Mundo

Onze condenados a prisão perpétua na Índia por massacre religioso em 2002

Um tribunal especial do estado indiano de Gujarat condenou hoje a prisão perpétua 11 dos 24 condenados pela morte de 69 pessoas durante os confrontos religiosos ocorridos na região em 2002.

© Reuters Photographer / Reuter

Nos massacres perderam a vida mais de mil pessoas, sobretudo membros da minoria muçulmana.

O Tribunal Especial de Ahmedabad classificou o massacre como o momento "mais negro da história da sociedade civil" e condenou a penas perpétuas 11 dos acusados que tinham sido apontados como culpados de assassínio, disseram fontes judiciais aos jornalistas presentes na sessão.

Dos restantes 13 indivíduos que tinham sido considerados culpados de conspiração e outros crimes, um foi condenado a dez anos de prisão e os outros 12 a sete anos de cadeia.

No passado dia 2 de junho, uma sessão especial coordenada pelo Tribunal Supremo da Índia acusou formalmente 36 pessoas, entre as quais o político Bipin Patel, membro do partido governamental BJP do primeiro-ministro indiano, Narendra Modi.

Cinco dos acusados morreram na prisão, durante o processo judicial, que começou em 2009, e um encontra-se a monte.

Modi, era o chefe do governo de Gujarat em fevereiro de 2002, na altura em que começaram os confrontos religiosos na região desencadeados pela morte de 59 peregrinos hindus, vítimas de um incêndio num comboio na localidade de Godhra.

Segundo os hindus, o fogo no comboio foi provocado por extremistas muçulmanos.

Após o incêndio, desencadeou-se uma onda de violência em Gujarat contra a comunidade muçulmana nomeadamente contra o bairro muçulmano de Ahmedadad em que estiveram envolvidos os 24 indivíduos condenados hoje.

De acordo com as autoridades, na altura, uma multidão de mais de 20 mil pessoas incendiou várias casas e queimou vivos 69 muçulmanos, entre os quais o político do Partido do Congresso Ehasan Jafri.

A mulher de Jafri foi uma das principais testemunhas do caso, tendo chegado a acusar o executivo de Modi de cumplicidade com os atacantes, pela insuficiente intervenção nos tumultos.

O atual primeiro-ministro foi, entretanto, ilibado das acusações de falta de intervenção.

"Não estou satisfeita com a sentença. Condenaram a penas menores muitos outros indivíduos e já libertaram muitos outros. A justiça tem sido negada", lamentou Zakia Jafri após a sessão judicial que se realizou hoje.


Lusa

  • "Temos de jogar melhor do que frente à Espanha"
    0:45
  • Ronaldo é o jogador que mais preocupa os marroquinos
    2:35
  • Recorda-se de Tahar? O ex-futebolista marroquino que já jogou em Portugal
    6:10
  • "Somos 11 milhões, queremos ser campeões e as russas são grandes canhões"
    3:54
  • Denis Cheryshev: o orgulho dos anfitriões

    Mundial 2018 / Rússia

    O avançado Denis Cheryshev foi eleito o Homem do Jogo entre Rússia e Egito, que os russos venceram por 3-1. Marcou o segundo golo dos anfitriões, o terceiro em nome próprio no Mundial e juntou-se a Cristiano Ronaldo no topo da lista de melhores marcadores. Aos 27 anos e a jogar o primeiro Mundial da carreira, Cheryshev continua a assumir-se como um dos principais rostos da esperança russa para o sucesso desta campanha. Depois de já ter sido o melhor em campo no triunfo sobre a Arábia Saudita, a nação anfitriã vê-o como uma espécie de porta-estandarte do orgulho russo na defesa da pátria.

  • Gato Achilles acerta no resultado do Rússia-Egito

    Desporto

    O gato Achilles é o adivinho dos jogos do Mundial na Rússia. Depois de ter acertado na vitória da Rússia frente à Arábia Saudita, o felino voltou a apostar na equipa certa, com os russos a vencerem esta terça-feira o Egipto por 3-1.

  • Os momentos que marcaram o 6.º dia de Mundial
    0:58
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O espetáculo fora das quatro linhas
    2:30
  • "Quando o Cristiano Ronaldo te convidar para almoçar, recusa"

    Desporto

    Na possibilidade de ser convidado por Cristiano Ronaldo para um almoço ou jantar, recuse. Este é o conselho de Patrice Evra, que revelou o "sofrimento" que passou quando aceitou almoçar em casa do capitão da seleção nacional, na altura em que ambos jogavam pelo Manchester United. O jogador francês falou sobre a comida "demasiado saudável" e o exercício que acabou por ter de fazer, enquanto podia estar a descansar.

    SIC

  • "Quero ir com a minha tia", o desespero das crianças afastadas dos pais nos EUA
    2:11

    Mundo

    A nova política de imigração de Donald Trump está a suscitar reações indignadas. Na fronteira com o México, as crianças refugiadas estão a ser retiradas à força aos pais e levadas para centros de acolhimento. Esta terça-feira, foi divulgado um registo áudio de uma criança a suplicar pelos pais a um dos agentes da polícia fronteiriça.

  • Protecionismo de Trump abala Wall Street

    Economia

    Abalada pela exacerbação das disputas comerciais entre os EUA e a China, a bolsa nova-iorquina encerrou esta terça-feira em baixa, com o seletivo Dow Jones a fechar em queda pela sexta sessão consecutiva.