sicnot

Perfil

Mundo

Polícia recusa cumprimentar Presidente e primeiro-ministro de França

Um polícia francês recusou-se hoje a cumprimentar numa cerimónia oficial o Presidente de França, François Hollande, e o primeiro-ministro, Manuel Valls, como forma de protesto contra a falta de meios para o exercício da profissão.

© Philippe Wojazer / Reuters

A comunicação social francesa reproduziu imagens em que se pode ver como o polícia recusou estender a mão a François Hollande quando este se despedia de cada um dos agentes na formatura, no final da homenagem em Versalhes em memória do casal de funcionários de uma esquadra, assassinado na segunda-feira.

Hollande, não parecendo incomodado, avançou para cumprimentar o agente seguinte da coluna, mas quando o polícia voltou a violar o protocolo com Valls, o primeiro-ministro parou, a exigir o cumprimento, que continuou a ser-lhe negado.

O agente, que trabalha na esquadra de Mantes-la-Jolie, na mesma localidade do assassino, disse a um jornalista da cadeia TF1 que tentou expressar como as forças de ordem reprovam a falta de meios.

"Temos três veículos para 40. O que se deve fazer? Atuar!" terá dito o agente a Manuel Valls, mas lamentou que o chefe do Governo não ouviu todos os argumentos.

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • "Juntos por Todos" hoje no palco em Lisboa
  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.