sicnot

Perfil

Mundo

Bélgica mantém nível de alerta três depois de operação antiterrorista

O primeiro-ministro belga anunciou hoje que a Bélgica manterá o nível de alerta atual em três, numa escala de quatro, após a operação antiterrorista que decorreu hoje de madrugada no país e que levou à detenção de 12 suspeitos.

© Francois Lenoir / Reuters

"Os diferentes eventos públicos previstos para os próximos dias vão manter-se com medidas de segurança complementares e adaptadas", disse Charles Michel, citado pela imprensa local, explicando que estas são as recomendações do Centro de Crise belga.

Charles Michel sublinhou que as autoridades belgas estão a acompanhar a situação "hora a hora" e que este sinal de vigilância demonstra uma "mensagem de determinação, serenidade e calma".

O primeiro-ministro belga falava aos jornalistas numa conferência de imprensa após uma reunião do Centro de Crise do Conselho Nacional de Segurança (CNS), convocado de urgência após a operação da polícia antiterrorista, que, segundo os órgãos de comunicação social locais, permitiu "evitar um atentado iminente" em Bruxelas.

A cadeia de televisão Rtbf indicou que vários dos detidos, que a polícia acompanhava de perto, foram vistos sexta-feira a circular de carro na Praça Rogier, em Bruxelas, onde foi instalada um ecrã gigante para permitir a transmissão de jogos do Campeonato da Europa de futebol, a decorrer em França.

No Euro2016, a Bélgica defronta hoje à tarde a seleção da Irlanda.

Nenhuma fonte oficial confirmou, até ao momento, que o atentado estaria a ser planeado para hoje, embora a Procuradoria federal belga tenha indicado, em comunicado, que os elementos recolhidos na investigação obrigaram a uma "intervenção imediata".

A polícia belga, no quadro de uma operação antiterrorista, deteve 12 suspeitos de quererem cometer um ou vários atentados na Bélgica, num total de 40 ações que decorreram maioritariamente na região de Bruxelas, mas também nas da Valónia e da Flandres.

Lusa

  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Óculos inteligentes permitem controlar telemóvel com o nariz
    1:05
  • Defesa de Sócrates diz que junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal
    0:50

    Operação Marquês

    A defesa de José Sócrates diz que a junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal. A aplicação de 900 milhões de euros da PT no BES foi anexada ao processo, por suspeita de luvas pagas por Ricardo Salgado a Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, também arguidos. A defesa do antigo primeiro-ministro já contestou a decisão. Diz que é uma forma de confundir o processo para ocultar, mais uma vez, a falta de provas contra Sócrates.

  • Família Portugal Ramos
    15:01