sicnot

Perfil

Mundo

Bélgica mantém nível de alerta três depois de operação antiterrorista

O primeiro-ministro belga anunciou hoje que a Bélgica manterá o nível de alerta atual em três, numa escala de quatro, após a operação antiterrorista que decorreu hoje de madrugada no país e que levou à detenção de 12 suspeitos.

© Francois Lenoir / Reuters

"Os diferentes eventos públicos previstos para os próximos dias vão manter-se com medidas de segurança complementares e adaptadas", disse Charles Michel, citado pela imprensa local, explicando que estas são as recomendações do Centro de Crise belga.

Charles Michel sublinhou que as autoridades belgas estão a acompanhar a situação "hora a hora" e que este sinal de vigilância demonstra uma "mensagem de determinação, serenidade e calma".

O primeiro-ministro belga falava aos jornalistas numa conferência de imprensa após uma reunião do Centro de Crise do Conselho Nacional de Segurança (CNS), convocado de urgência após a operação da polícia antiterrorista, que, segundo os órgãos de comunicação social locais, permitiu "evitar um atentado iminente" em Bruxelas.

A cadeia de televisão Rtbf indicou que vários dos detidos, que a polícia acompanhava de perto, foram vistos sexta-feira a circular de carro na Praça Rogier, em Bruxelas, onde foi instalada um ecrã gigante para permitir a transmissão de jogos do Campeonato da Europa de futebol, a decorrer em França.

No Euro2016, a Bélgica defronta hoje à tarde a seleção da Irlanda.

Nenhuma fonte oficial confirmou, até ao momento, que o atentado estaria a ser planeado para hoje, embora a Procuradoria federal belga tenha indicado, em comunicado, que os elementos recolhidos na investigação obrigaram a uma "intervenção imediata".

A polícia belga, no quadro de uma operação antiterrorista, deteve 12 suspeitos de quererem cometer um ou vários atentados na Bélgica, num total de 40 ações que decorreram maioritariamente na região de Bruxelas, mas também nas da Valónia e da Flandres.

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.