sicnot

Perfil

Mundo

Polícia turca usa balas de borracha e gás lacrimogénio contra manifestação LGBT

A polícia turca usou balas de borracha e gás lacrimogénio para dispersar a manifestação de cerca de 50 membros da comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros) em Istambul, noticia a agência France Press.

© Mike Blake / Reuters

Várias centenas de polícias de choque cercaram a Praça Taksim para impedir que que a manifestação do Orgulho LGBT se realize durante o Ramadão.

Segundo os meios de comunicação turcos, dois manifestantes da causa LGBT foram detidos.

Os cerca de 50 manifestantes da causa Orgulho LGBT reuniram-se na Praça Taksim, fizeram uma bandeira com as cores do arco-íris e, quando se preparavam para ler um comunicado aos jornalistas, foram interrompidos por um chefe de polícia.

Esta manifestação estava inserida na semana LGBT na Turquia, mas as autoridades de Istambul proibiram, na passada sexta-feira, a realização da "parada do orgulho gay", prevista para o dia 26, com o objetivo de "manter a segurança e a ordem pública", o que provocou indignação na sociedade civil.

Antes da intervenção policial, 12 manifestantes contra a comunidade LGBT foram detidos perto da Praça Taksim.

No início da semana, um grupo de ultranacionalistas pediu às autoridades para cancelaram o evento, alertando para as consequências caso a solicitação não fosse aceite.

A tradicional "parada do orgulho gay" tem-se realizado nos últimos anos em Istambul sem incidentes e milhares de pessoas estão envolvidas nesta causa, tornando-se o maior evento do género num país muçulmano.

Lusa

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06