sicnot

Perfil

Mundo

Festival de carne de cão na China arranca amanhã apesar dos protestos

A localidade chinesa de Yulin, na província de Guangxi, sudoeste da China, prepara-se hoje para o "Festival de Carne de Cão", que se realiza na terça-feira, apesar dos insistentes protestos de organizações amigas dos animais.

Yulin, na província de Guangxi, organiza o festival de carne de cão pelo solstício de verão, desencadeando uma onda de revolta em todo o mundo, com grupos de defesa dos direitos dos animais a procurarem travar o que designam de "festival da crueldade".

Yulin, na província de Guangxi, organiza o festival de carne de cão pelo solstício de verão, desencadeando uma onda de revolta em todo o mundo, com grupos de defesa dos direitos dos animais a procurarem travar o que designam de "festival da crueldade".

reuters

Milhares de cães serão sacrificados como parte de um ritual que todos os anos se cumpre naquela localidade, no solstício de verão, e que as petições 'online' classificam como espetáculo bárbaro e cruel.

Segundo descreveu a agência espanhola EFE, no mercado local de Dashichang vários ativistas conseguiram ainda libertar alguns dos cães enjaulados.

No conjunto, a organização Humane Society Internacional (HSI) conseguiu resgatar, até hoje, 54 cães e gatos, escreve a agência.

Nos últimos anos, vendedores de carne de cão e ativistas chegaram a entrar em confronto e hoje alguns restaurantes e vendedores optaram por esconder os cartazes onde anunciam a sua "especiaria".

No mercado de Dongkou, onde se vende a carne já depois de morto o animal, o ambiente é semelhante a outros mercados ao ar livre da China.

Porém, é ainda possível identificar os cães, esfolados ou queimados, pendurados em ganchos pela boca e preparados para serem cortados e servidos aos clientes.

O festival é controverso não só por servir carne de cão - comum a muitos países da Ásia - mas pela origem dos animais: a Fundação de Animais da Ásia estima que a maioria eram cães vadios ou domésticos que foram roubados aos donos.

"O cumprimento da lei é da responsabilidade do Governo chinês, mas até agora as autoridades têm ignorado. Por isso, os ativistas chineses optam por ir até às estradas e bloquear a passagem de camiões carregados de cães obtidos de forma ilegal", escreveu a HSI em comunicado.

Este ano, as autoridades puseram barreiras nas vias de acesso ao município, respondendo ao apelo de algumas destas organizações, mas os ativistas pedem "uma ordem para encerrar definitivamente os matadouros".

Lusa

  • E agora?
    15:07

    Reportagem Especial

    Há uma semana, Portugal voltou a ser palco de uma tragédia que matou pelo menos 44 pessoas e deixou cerca de 70 feridas. Os incêndios destruíram mais de 800 casas, dezenas de empresas e explorações agropecuárias, mataram milhares de animais e consumiram uma gigantesca área de floresta. A reportagem da SIC andou pelo concelho de Tondela, onde três pessoas morreram e o levantamento de prejuízos ainda não está fechado.

  • "Sinto-me como quem leva uma sova monumental"
    0:30
  • Temperaturas vão subir até 4ª feira

    País

    As temperaturas vão subir até esta quarta-feira, prevendo-se máximas entre os 22 e os 29 graus na generalidade do território, valores acima do normal para a época do ano, adiantou hoje a meteorologista Maria João Frada.

  • "Não compreendi absolutamente nada a substituição do Casillas"
    1:58
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    Os guarda-redes de FC Porto e Benfica estão neste momento em destaque depois de José Sá ter assumido a baliza dos dragões em detrimento de Iker Casillas. Nas águias, Svilar repetiu a titularidade frente ao Desportivo das Aves. Os comentadores do programa Play-Off Rodolfo Rei, Rui Santos, João Alves e Manuel Fernandes analisaram as duas situações.

  • Famílias afetadas pelos fogos começam a receber bens de primeira necessidade
    2:30
  • Equipa responsável por renovação da Proteção Civil ainda não é conhecida
    2:45

    País

    A constituição da unidade de missão que deverá entrar esta segunda-feira em funções para concretizar a reforma dos sistemas de prevenção e combate a incêndios ainda não é conhecida. A equipa de trabalho anunciada por António Costa será responsável por pôr de pé o novo sistema de Proteção Civil, aprovado no Conselho de Ministros extraordinário de sábado.

  • "Quero unir o PSD depois de o clarificar"
    1:17
  • Quem são os lesados do BES?
    4:52