sicnot

Perfil

Mundo

David Beckham defende permanência na União Europeia

David Beckham, considerado um dos melhores futebolistas ingleses de sempre, anunciou hoje a intenção de votar a favor da manutenção do Reino Unido na União Europeia, no referendo agendado para segunda-feira.

Jordan Strauss

"Vivemos num mundo dinâmico, onde ligados somos fortes. Devemos lidar com os problemas do mundo em conjunto e não isoladamente", argumentou o ex-futebolista, de 41 anos, num comunicado divulgado pela campanha "Bretanha mais forte na Europa".

Beckham lembrou que teve "o privilégio de viver em Madrid, Milão e Paris", juntamente com colegas "de toda a Europa e do mundo", salientando toda a "hospitalidade" que mereceu em todas essas cidades.

"Por todos esses motivos, vou votar para ficar" na UE, conclui o ex-internacional inglês, numa altura em que as sondagens dão praticamente um 'empate técnico' entre o 'Sim' e o 'Não'.

Na segunda-feira, o presidente executivo da Liga inglesa de futebol, Richard Scudamore, alertou para os vários problemas provocados por uma eventual saída do Reino Unido da União Europeia (UE), considerando-a adversa aos interesses da 'Premier League'.

O 'Brexit', como é conhecida a campanha a favor do isolamento britânico face à UE, posicionamento que será submetido a referendo na quinta-feira, é desfavorável à "abertura e importância da liga inglesa" fora do Reino Unido, disse o dirigente.

"Ninguém tem mais 'cicatrizes' do que eu no que diz respeito às negociações com Bruxelas [sede da UE] para tentar organizar as coisas a favor dos nossos interesses face à máquina europeia", começou por dizer Scudamore, que defende a permanência na esfera comunitária.

Para Scudamore, "em última instância, não se pode quebrar, não se pode saltar fora, tem que se estar dentro e negociar, tentar, organizar e influenciar".

"A abertura e reconhecimento internacional da Premier League poderá tornar-se incongruente se nos posicionarmos contra", referiu o dirigente inglês.

Segundo Scudamore, a saída do Reino Unido do seio dos 28 países da EU não permite "o controlo do próprio destino", como defende a campanha 'Brexit'.

"Isso não é absolutamente correto para quem viaja pelo mundo, como nós fazemos, onde encontramos abertura para fazer negócios, para debates e cooperação", sublinhou, concluindo: "Acho que seremos, penso eu, menos respeitados por não querermos fazer parte de algo".

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.