sicnot

Perfil

Mundo

Exército israelita demoliu casa de palestiniano que matou turista norte-americano

O exército de Israel demoliu hoje na Cisjordânia a casa de um palestiniano que matou um turista norte-americano e feriu vários israelitas em março, num ataque com arma branca, em Telavive, disse uma porta-voz do exército à AFP.

© Mussa Qawasma / Reuters

"Durante a noite, de acordo com as diretivas governamentais, as forças de segurança demoliram a casa de Bashar Massala, na localidade de Haja", informou.

A 08 de março, um homem matou uma pessoa e feriu nove em ataques com arma branca em Telavive, perto de onde o vice-presidente norte-americano, Joe Biden, estava a ser recebido pelo ex-Presidente israelita Shimon Peres, indicou a polícia naquele dia.

A vítima mortal era um turista norte-americano e o autor dos ataques foi abatido por agentes policiais.

Várias das pessoas esfaqueadas ficaram feridas com gravidade.

O agressor começou por ferir diversos transeuntes na avenida marginal de Jaffa, bairro histórico e um dos locais mais turísticos de Telavive, e depois continuou junto ao mar e esfaqueou mais pessoas, antes de ser abatido.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.