sicnot

Perfil

Mundo

Greenpeace entrega à Europa oito milhões de assinaturas para proteger o Ártico

A Greenpeace entregou esta manhã aos quinze países europeus signatários da Convenção para a Proteção do Meio Marinho do Atlântico do Nordeste (OSPAR) oito milhões de assinaturas que lhes propõem criar um santuário no Ártico.

© NASA NASA / Reuters

Os signatários desta convenção, conhecida como OSPAR (acrónimo dos seus acordos fundadores, de Oslo e de Paris) a reunião que põe final ao período de seis anos em que Espanha coordenou os seus trabalhos.

Hoje, 12 ativistas da Greenpeace apresentaram-se num hotel onde tem lugar a reunião para entregar a cada um dos 16 membros da OSPAR - os 15 estados signatários da UE - oito caixas com assinaturas de cidadãos que exigem que se protejam as águas do Ártico, convencidos de que as alterações climáticas "não permitem esperar".

A porta-voz da Greenpeace de Espanha nesta campanha, Pilar Marcos, explicou à agência espanhola EFE que as principais associações ecológicas do mundo querem que a OSPAR proteja a zona do Ártico situada em águas internacionais que está sob a sua competência: uma extensão de oceano de 232.650 quilómetros quadrados -- metade da superfície de Espanha -- situada entre a Gronelândia e a Noruega.

Marcos sublinha que esta superfície só representa uma pequena parte - 8,3 por cento - do santuário que a Greenpeace exige para todo o Ártico, mas a sua declaração teria uma grande "carga simbólica" e também "geopolítica", porque seria a primeira proteção que se estabelece sobre estas águas, muito cobiçadas por vários estados.

"Proteger uma superfície como esta não é inútil, lançaria uma chamada de atenção aos países que estão a tentar explorar os recursos do Ártico em vez de protegê-los. Causaria uma agitação na geopolítica da zona", apontou a porta-voz.

Os ativistas da Greenpeace também entregaram aos delegados do governo representados em OSPAR uma memória digital com pormenores sobre os países de origem dos oito milhões de assinaturas e uma ligação ao vídeo do concerto que o pianista italiano Ludovico Einaudi deu em frente ao glaciar Wahlenbergbreen (Noruega) para oferecer o seu apoio a esta campanha.

Lusa

  • MIT quer humanos a ajudar máquinas a decidir (quem morre)

    Mundo

    A "Máquina Moral" é uma plataforma online que recolhe a perspetiva humana em decisões que terão de ser tomadas por uma máquina. Por exemplo, quando um carro sem condutor se depara com o dilema do mal menor: em quem acertar - para evitar outros - num acidente de viação.

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.