sicnot

Perfil

Mundo

Buracos negros permitem detetar ondas gravitacionais pela primeira vez

O sistema binário de buracos negros, que permitiu, em setembro de 2015, detetar pela primeira vez ondas gravitacionais, foi descrito em pormenor por cientistas polacos num estudo publicado hoje na revista Nature.

Buraco negro encontra-se no centro da Via Láctea

Buraco negro encontra-se no centro da Via Láctea

© Ho New / Reuters

As vibrações no espaço-tempo captadas pelo Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferómetro Laser (Estados Unidos) foram provocadas pelo choque de dois buracos negros provenientes de duas estrelas com grande massa, segundo modelos matemáticos elaborados pela Universidade de Varsóvia.

Ambas as estrelas formaram-se cerca de 2.000 milhões de anos depois do Big Bang, segundo os modelos matemáticos polacos, tendo sido mais brilhantes e maiores do universo.

Há 1.200 milhões de anos, os dois buracos negros colidiram e esse choque resultou num cataclismo que formou o sistema binário GW150914. Este sistema foi detetado o ano passado por instrumentos terrestres de alta precisão.

As duas estrelas originais tinham uma composição relativamente pura, na qual predominava o hidrogénio e o hélio e existia menos de 10% de elementos pesados como o carbono, oxigénio e ferro.

O grupo de cientistas liderado por Krzysztof Belczynski elaborou um modelo que permite aos investigadores descrever a evolução dos sistemas binários desde o nascimento do universo até ao presente.

Os cientistas compararam as características do sistema detetado pelo observatório com os objetos que figuram na lista das suas estimativas matemáticas, de modo a identificar o sistema que terá, provavelmente, causado os sinais detetados.

O estudo de Belczynski é um dos primeiros a utilizar as informações capturadas através das ondas gravitacionais e é o primeiro a expor características dos objetos astronómicos mais distantes.

Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.