sicnot

Perfil

Mundo

ONU pede à comunidade internacional que apoie civis iraquianos que fugiram de Fallujah

O Conselho de Segurança da ONU instou, na terça-feira, a comunidade internacional a cumprir a sua "obrigação moral e política" de ajudar os civis iraquianos que fugiram de Fallujah devido a uma operação contra o Estado Islâmico.

REUTERS

Os membros do Conselho aplaudiram "a contraofensiva bem-sucedida" lançada pelas forças iraquianas e os seus parceiros de coligação a 22 e 23 de maio, com o objetivo de recuperar Fallujah, um bastião dos extremistas que estava tomado há meses.

O grupo Estado Islâmico perdeu 45% do território que controlava, apontou o embaixador francês Francois Delattre, que ocupa atualmente a presidência rotativa do Conselho.

No entanto, mais de 60 mil pessoas foram forçadas a deixar as suas casas nesta zona no último mês, causando dificuldades no trabalho de apoio humanitário.

Milhares de famílias não têm nada que comer ou qualquer lugar para dormir.

A agência para os refugiados da ONU indicou que serão necessários mais 20 campos nas próximas semanas para acolher os deslocados, acrescentando que é "urgente" disponibilizar 17,5 milhões de dólares para responder às necessidades imediatas.

Os países que apoiam o Iraque têm "uma obrigação moral e política" de ajudar os que mais precisam e garantir que "aqueles que fugiram dos combates em Fallujah e em torno de Fallujah não vão sofrer duas vezes", disse Delattre.

O embaixador acrescentou que todas as partes envolvidas devem "respeitar as suas obrigações no que toca à lei internacional humanitária".

"É crucial que o Estado iraquiano garanta que não há qualquer retaliação contra a população civil por grupos paramilitares", afirmou.

O primeiro-ministro Haider al-Abadi declarou vitória em Fallujah na semana passada, após a bandeira nacional ter sido içada no principal complexo governamental.

Lusa

  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Catarina Martins diz que é preciso ouvir os dois secretários de Estado sobre offshores
    1:27

    Economia

    O Bloco de Esquerda diz que participa com empenho em todas as comissões de inquérito, mas insiste que não faz sentido suspender o trabalho da comissão em curso sobre a Caixa Geral de Depósitos. Catarina Martins esteve esta manhã em Estremoz, onde comentou também o caso das transferências para offshores. A coordenadora do Bloco diz que é preciso ouvir os dois Secretários de Estado dos assuntos fiscais para perceber o que se passou.

  • Brasil já tirou o "pé do chão"
    1:59

    Mundo

    Já começaram os desfiles e festas de carnaval, no Rio de Janeiro.Esta sexta feira foi o início oficial das celebrações com centenas de milhar de pessoas nas ruas até de madrugada.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Atores de Hollywood contra Trump
    1:44

    Mundo

    Centenas de pessoas juntaram-se em mais um protesto contra o presidente dos Estados Unidos. A manifestação, em Beverly Hills, juntou várias estrelas de Hollywood.