sicnot

Perfil

Mundo

ONU pede à comunidade internacional que apoie civis iraquianos que fugiram de Fallujah

O Conselho de Segurança da ONU instou, na terça-feira, a comunidade internacional a cumprir a sua "obrigação moral e política" de ajudar os civis iraquianos que fugiram de Fallujah devido a uma operação contra o Estado Islâmico.

REUTERS

Os membros do Conselho aplaudiram "a contraofensiva bem-sucedida" lançada pelas forças iraquianas e os seus parceiros de coligação a 22 e 23 de maio, com o objetivo de recuperar Fallujah, um bastião dos extremistas que estava tomado há meses.

O grupo Estado Islâmico perdeu 45% do território que controlava, apontou o embaixador francês Francois Delattre, que ocupa atualmente a presidência rotativa do Conselho.

No entanto, mais de 60 mil pessoas foram forçadas a deixar as suas casas nesta zona no último mês, causando dificuldades no trabalho de apoio humanitário.

Milhares de famílias não têm nada que comer ou qualquer lugar para dormir.

A agência para os refugiados da ONU indicou que serão necessários mais 20 campos nas próximas semanas para acolher os deslocados, acrescentando que é "urgente" disponibilizar 17,5 milhões de dólares para responder às necessidades imediatas.

Os países que apoiam o Iraque têm "uma obrigação moral e política" de ajudar os que mais precisam e garantir que "aqueles que fugiram dos combates em Fallujah e em torno de Fallujah não vão sofrer duas vezes", disse Delattre.

O embaixador acrescentou que todas as partes envolvidas devem "respeitar as suas obrigações no que toca à lei internacional humanitária".

"É crucial que o Estado iraquiano garanta que não há qualquer retaliação contra a população civil por grupos paramilitares", afirmou.

O primeiro-ministro Haider al-Abadi declarou vitória em Fallujah na semana passada, após a bandeira nacional ter sido içada no principal complexo governamental.

Lusa

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efectivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21