sicnot

Perfil

Mundo

As etapas mais importantes do cessar-fogo na Colômbia

O acordo bilateral de cessar-fogo e o fim definitivo das hostilidades assinado hoje em Havana pelo Governo colombiano e as FARC perspetivam o fim de meio século de conflito armado com a guerrilha mais antiga do continente americano.

© John Vizcaino / Reuters

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC, marxistas) tinham declarado por seis vezes o cessar-fogo desde o início das atuais conversações de paz em novembro de 2012, com o Governo a responder através de medidas para reduzir a intensidade do conflito, apesar de nunca ter ordenado às suas tropas o fim das operações militares.

Desde o início do diálogo em Havana registaram-se diversas tentativas de cessar-fogo.

2012

19 de novembro: As FARC anunciam no local onde decorrem as conversações de paz em Havana um cessar-fogo unilateral de dois meses e que entra em vigor no dia seguinte.

20 de novembro: O cessar-fogo tem início e termina em janeiro de 2013. A "Defensoría del Pueblo" (DF), uma instituição oficial de direitos humanos, que o cessar-fogo foi violado 57 vezes pelas FARC.

2013

15 de dezembro: Cessar-fogo unilateral das FARC por 30 dias devido aos festejos do Natal.

2014

20 de maio: As FARC e o Exército de Libertação Nacional (ELN, guevarista) iniciam um cessar-fogo unilateral até 28 de maio devido às eleições presidenciais.

9 de junho: As FARC iniciam um novo cessar-fogo, em vigor até 30 de junho, devido às segunda volta das presidenciais.

17 de dezembro: As FARC anunciam pela primeira vez um cessar-fogo unilateral e o fim das hostilidades por período indefinido a partir de 20 de dezembro, após progressos das negociações de Havana.

2015

10 de março: o Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, ordena a suspensão por um mês dos bombardeamentos a acampamentos das FARC, decisão que considera "um passo lógico" face ao fim das hostilidades decretado pela guerrilha, uma medida que prorroga por 30 dias em 9 de abril.

15 de abril: 11 militares são mortos num ataque das FARC no departamento de Cauca (sudoeste). Em resposta ao ataque, Juan Manuel Santos ordena o recomeço dos bombardeamentos.

21 de maio: O Presidente colombiano confirma que 26 guerrilheiros das FARC foram mortos numa operação conjunta da Força Aérea e do Exército na zona de Guapí (Cauca).

22 de maio: As FARC suspendem o cessar-fogo unilateral após o bombardeamento em Guapí.

23 de junho: A DF diz que, no primeiro mês desde a suspensão do cessar-fogo, as FARC efetuaram 38 ataques contra civis.

8 de julho: As FARC anunciam um cessar-fogo unilateral durante um mês a partir de 20 de julho.

10 de julho: As partes em diálogo anunciam em Havana um plano para reduzir a intensidade do conflito e facilitar a obtenção de acordos que permitam obter um cessar-fogo bilateral e definitivo.

20 de julho: Tem início um novo cessar-fogo unilateral pelas FARC, no dia em que a Colômbia celebra o 205.º aniversário da independência.

2016

10 de maio: O ministro da Defesa colombiano, Luis Carlos Villegas, afirma que as FARC violarem em três ocasiões o cessar-fogo com ataques de franco-atiradores a militares no departamento de Caquetá (sul).

22 de junho: O Governo de Bogotá e as FARC anunciam um cessar-fogo bilateral e o fim definitivo das hostilidades.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.