sicnot

Perfil

Mundo

Nenhum ferido entre os reféns em cinema na Alemanha

Nenhuma das pessoas que estavam no cinema de Verhheim atacado hoje por um homem armado ficou ferida, afirmou o ministro do Interior do governo regional de Hesse, Peter Beuth, depois de anunciar que o suspeito foi morto pela polícia.

Boris Roessler

"Não temos informações de que alguém tenha ficado ferido", disse o responsável.

"O atacante deslocava-se pelo complexo dando a impressão de estar perturbado. Foi confrontado e foi assim que morreu", acrescentou, precisando que o suspeito "fez reféns".

Beuth explicou que a polícia tomou de assalto o complexo de salas de cinema Kinopolis, em Viernheim, perto de Frankfurt, oeste da Alemanha, depois de terem sido disparados tiros.

A imprensa alemã tinha noticiado que pelo menos 25 pessoas tinham ficado feridas, possivelmente devido a gases utilizados pelas forças policiais no assalto ao complexo.

Segundo a agência DPA, fontes da polícia afastaram tratar-se de um ato de terrorismo, privilegiando a tese de que o autor do ataque tivesse problemas psiquiátricos.

O homem, armado e de rosto tapado, entrou no complexo de salas de cinema cerca das 15:00 locais (14:00 em Lisboa) e disparou tiros, segundo a imprensa alemã.

"Um telefonema urgente foi recebido cerca das 14:45, dizendo que um homem armado tinha entrado" no cinema, disse Beuth. "Quatro tiros teriam sido disparados", acrescentou.

Lusa

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11