sicnot

Perfil

Mundo

Ataque a hotel na Somália provoca 35 mortos e 30 feridos

Pelo menos 35 pessoas morreram e 30 ficaram feridas num ataque realizado por rebeldes islamitas somalis 'shebab' contra um hotel na capital da Somália, Mogadíscio, segundo a polícia local.

© Feisal Omar / Reuters

De acordo com a mesma fonte, as autoridades tomaram conta do hotel ao fim de quatro horas de combate com um grupo armado, que fez inicialmente explodir um carro armadilhado nas imediações do hotel Naasa Hablood.

O ataque já foi reivindicado pelos insurgentes islâmicos somalis 'shebab', que juraram destruir o governo da Somália e que são um ramo da rede terrorista Al-Qaida.

As forças de segurança montaram no local uma operação para tentar libertar os reféns, entre os quais poderá estar algum membro do governo.

O Naasa Hablood é um hotel muito frequentado por políticos e residentes estrangeiros. Está situado na zona norte da capital somali.

Este ataque acontece pouco mais de três semanas depois de um outro ataque que teve como alvo o hotel Ambassador, também em Mogadíscio. No ataque de 01 de junho morreram 10 pessoas.

Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.