sicnot

Perfil

Mundo

PP volta a ganhar eleições em Espanha sem maioria

O Partido Popular (PP, direita) é o grande vencedor das eleições legislativas espanholas, apesar de não obter a maioria absoluta, sendo o único partido a ganhar percentagem de votos e lugares no parlamento, em relação às eleições anteriores, de dezembro.

© Vincent West / Reuters

O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) conseguiu evitar o que todos estavam à espera, o ser ultrapassado pela coligação de esquerda Unidos Podemos (uma aliança de radicais de esquerda, comunistas, ecologistas e partidos regionais), mas perde lugares na assembleia, apesar de ver aumentado ligeiramente a percentagem de votos.

Os partidos tradicionais do sistema político espanhol (PP e PSOE) conseguiram parar o movimento que parecia irreversível no sentido do aumento de votos dos novos partidos, a Unidos Podemos e partido de centro-direita Ciudadanos do centro).

Ainda não é possível prever qual será a coligação que irá permitir uma solução governativa, que não foi possível construir na sequência das últimas eleições, em 20 de dezembro último.

Segunda-feira inicia-se um período de negociações para tentar desbloquear esse impasse político, tendo todas os partidos garantido nos últimos dias da campanha eleitoral que não seria necessário repetir as eleições pela terceira vez.

Com 98,78% dos votos escrutinados o PP tinha 33,0% dos votos (28,71 em dezembro) e 137 lugares no Congresso dos Deputado, enquanto o PSOE obteve 22,70% dos votos (22% em dezembro) e 85 lugares (90).

Por seu lado, a Unidos Podemos chego aos 21,13% e 71 lugares e o Ciudadanos obtinha 13,03% (13,94%) e 32 (40) lugares.

O Congresso dos Deputados tem 350 lugares e a maioria é alcançada com metade mais um (176) desse número.

Última atualização às 23:40

Com Lusa

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a lider da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleiçoes em vários países, como a Alemanha e a Holanda.