sicnot

Perfil

Mundo

Ex-primeiro-ministro da Moldávia condenado a nove anos de prisão por corrupção

O tribunal moldavo condenou hoje o ex-primeiro-ministro Vlad Filat a nove anos de prisão por corrupção e abuso de poder, uma decisão contestada pela defesa, que a considera ilegal, e pela acusação, que a classifica como muito branda.

© Stringer . / Reuters

Vlad Filat foi preso a 15 de outubro sob as acusações de corrupção, tráfico de influências e fraude, e segundo o Centro de Investigações Jornalísticas da Moldávia, o advogado de defesa, Igor Popa, disse que o processo é "uma infração à justiça e um crime contra a verdade".

A acusação já anunciou que vai recorrer, pois segundo a procuradora anticorrupção, Adriana Betisor, a sentença de nove anos de prisão "não é proporcional".

Inicialmente, a acusação pediu uma pena de 19 anos de prisão, e ainda o confisco dos bens de Vlad Filat, e a proibição de ocupar cargos públicos por cinco anos.

Segundo a justiça moldava, Filat é culpado de ter aceite subornos de 260 milhões de dólares (cerca de 236 milhões de euros), num escândalo de branqueamento de capitais, segundo a agência noticiosa francesa France Presse.

Filat, primeiro-ministro da Moldávia de 2009 a 2013, está ainda envolvido em três outros casos na justiça.

O Banco Central da Moldávia descobriu em abril do ano passado que três bancos concederam empréstimos de mil milhões de dólares (907 milhões de euros), que representam quase 10% do PIB do país, a entidades desconhecidas.

A revelação provocou uma onda de manifestações e o agravamento da crise política no país, que tem 3,5 milhões de habitantes.

Lusa

  • Governo da Moldávia demite-se em bloco

    Mundo

    O Governo da Moldávia demitiu-se esta terça-feira em bloco depois da renúncia, na sexta-feira, do primeiro-ministro, Chiril Gaburici, suspeito de falsificação do diploma universitário, segundo um comunicado citado pela agência EFE.

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.