sicnot

Perfil

Mundo

Imprensa espanhola destaca vitória do PP de Mariano Rajoy

A vitória do Partido Popular em Espanha domina hoje as manchetes dos jornais espanhóis, que referem a necessidade de Mariano Rajoy ter de negociar para formar Governo, apesar de uma votação melhor em relação às eleições de dezembro.

reuters

Na sua edição online, o El Mundo titula que "Os espanhóis dão uma nova oportunidade a Mariano Rajoy", escrevendo que "o PP reforça a sua maioria no Senado, com mais seis senadores".

O jornal El País titula "O PP reforça-se e o bloco de esquerdas perde terreno", enquanto o ABC destaca que "Espanha quer que Rajoy governe" e o La Vanguardia escreve "Rajoy ganha força e Podemos não consegue 'ultrapassar' o PSOE".

Na capa do ABC surge uma foto de Mariano Rajoy com a mulher, Elvira Férnandez, a celebrar a vitória nas eleições de domingo.

Já no jornal Vanguardia, uma foto do casal vitorioso, com a legenda "reclamamos o direito a governar", é acompanhada pelos resultados globais e pelos resultados na Catalunha.

Nos regionais, o basco El Correo salienta que "Rajoy reclama o seu 'direito a governar' após a rotunda vitória do PP", enquanto o Diário de Sevilha, na sua edição online, diz que "Rajoy reforça-se com um triunfo mais amplo".

Entre os jornais catalães, o El Periódico de Catalunya escreve na sua página de Internet que "O PP ganha e fica nas mãos do PSOE", um texto que é acompanhado da distribuição dos lugares após os resultados finais, enquanto o Punt Avui apresenta as cores políticas do congresso espanhol.

"Espanha pede um governo de Rajoy" é o título em destaque na edição online do La Razón.

Os galegos La Voz de Galicia e o Faro de Vigo titulam "O PP ganha com clareza, o PSOE resiste e Rajoy está mais perto de formar Governo" e "O PP reforça o seu triunfo e o PSOE salva-se da "ultrapassagem" apesar de retroceder", respetivamente.

Nos jornais económicos, o Expansión escreve que o "PP de Rajoy sai reforçado do 26 de Junho para formar Governo", enquanto o Cinco Días faz referência à pressão sobre as bolsas no dia seguinte às eleições. "Rajoy sai reforçado, mas terá de negociar" é um dos títulos da edição online do Cinco Días, que refere que o "PP ganhou lugares em nove comunidades autónomas".

O Partido Popular, de Mariano Rajoy, foi o mais votado nas eleições de domingo, com 137 deputados, mais 14 do que nas legislativas de dezembro, mas longe dos 176 mandatos que dão a maioria absoluta no congresso espanhol.

No discurso de vitória, Mariano Rajoy reclamou o "direito a governar".

O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), de Pedro Sanchez, ficou em segundo lugar, com 85 lugares, enquanto a aliança de esquerda Unidos Podemos, que as sondagens colocavam em segundo lugar, ficou em terceiro e elegeu 71 deputados, enquanto o partido de centro-direita Ciudadanos conseguiu 32 assentos.

Apenas uma coligação do PP com o PSOE conseguirá reunir os lugares suficientes para que Espanha possa ter um governo de maioria, na sequência das eleições de domingo.

Tal como nas eleições de 20 de dezembro de 2015, os partidos estão obrigados a fazer acordos para conseguir avançar para a investidura de um presidente do Governo e, à exceção de um hipotético acordo PP-PSOE, são necessárias pelo menos três forças políticas para tal.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.