sicnot

Perfil

Mundo

"Ainda estou viva", diz rainha de Inglaterra

"Ainda estou viva", diz rainha de Inglaterra

A Rainha de Inglaterra iniciou na segunda-feira uma visita oficial de dois dias à Irlanda do Norte. É a primeira ronda de compromissos públicos de Isabel II, desde que os britânicos escolheram sair da União Europeia. A rainha não emitiu qualquer declaração sobre o resultado do referendo de quinta-feira mas a imprensa britânica tem avançado que a monarca apoia a saída. Na Irlanda do Norte, a rainha foi recebida pelo vice-primeiro-ministro, num encontro que ficou marcado pelas declarações bem dispostas de Isabel II quando Martin McGuiness lhe perguntou se estava tudo bem.

A declaração de Isabel II tem lugar numa altura em que o Reino Unido vive dias dramáticos depois de ter assistido, num curto intervalo de tempo, ao primeiro-ministro a anunciar a sua demissão, à libra esterlina a cair para mínimos de 30 anos, e à Inglaterra a ser eliminada pela Islândia do campeonato europeu de futebol.

Os comentários da monarca acontecem na sequência de uma visita, de dois dias, à Irlanda do Norte, onde se encontrou com líderes como o primeiro vice-ministro Martin McGuinness.

"Olá, como está?", perguntou McGuinness, estendendo a mão para cumprimentar a rainha, num encontro transmitido pela televisão. A resposta foi pronta: "Ainda estou viva. Ah", afirmou a rainha, de 90 anos, rindo-se no momento do aperto de mão.

"Temos estado bastante ocupados. Têm acontecido muitas coisas", frisou.

A rainha não emitiu uma declaração sobre o resultado do referendo de quinta-feira em que os britânicos optaram pela saída da União Europeia.

Os eleitores na Escócia e na Irlanda do Norte apoiaram a permanência no bloco, mas o apoio pela saída na Inglaterra e no País de Gales garantiu a vitória do "Brexit".

Os resultados do referendo levaram o partido Sinn Féin, de McGuinness, a defender uma votação na Irlanda do Norte sobre a unificação com a República da Irlanda enquanto a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, anunciou que a Escócia vê o seu futuro como "parte da União Europeia".

Depois de um encontro, à porta fechada, com a rainha, McGuinness recusou comentar se discutiram ou não o referendo.

"Discutimos muitas coisas. Não vos vou revelar nenhuma delas", afirmou.

Com Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.