sicnot

Perfil

Mundo

Explosões no aeroporto de Istambul fazem pelo menos 36 mortos

Um tiroteiro e duas explosões fizeram-se sentir no Aeroporto de Atatürk em Istambul. Segundo primeiro-ministro turco, pelo menos 36 pessoas morreram. As explosões foram ataques suicidas: os suspeitos detonaram os explosivos antes de passarem pelo sistema de segurança de raio-X no check-in. Mais de 100 pessoas ficaram feridas.

SEDAT SUNA

A polícia turca acredita que o Daesh está por trás dos ataques.

Ainda há dúvidas quanto ao número exato de bombistas: as autoridades falam em dois, o ministro da Justiça turco fala em apenas um, enquanto várias testemunhas acreditam ter sido três ou quatro.

De acordo as autoridades, os bombistas suicidas abriram fogo antes de se fazerem explodir.

A polícia turca disparou contra os suspeitos na zona de entrada do terminal de voos internacionais.

A televisão estatal TRT avança que uma das explosões se deu num posto de controlo no terminal das chegadas internacionais do aeroporto.

"Estávamos no controlo de passaportes. Ouvimos tiros. Eram quatro pessoas e começaram a disparar contra nós. Depois, fizeram-se explodir", relatou à CNNTurk uma testemunha.

Segundo a CNN, mais de uma dezena de ambulâncias foi enviada para o terminal de voos internacionais.

Sabe-se também que os táxis estavam a levar os feridos.

Nos últimos meses, o partido dos trabalhadores do Curdistão tem sido responsável por uma série de ataques no país, bem como os extremistas islâmicos do Daesh.

No entanto, o atentado de hoje ainda não foi reivindicado.

A televisão turca avançou que todos os voos com partida do aeroporto de Ataturk foram cancelados

Já um representante do aeroporto disse ainda que não era certo se os voos de amanhã seriam cancelados.

A polícia turca está a evacuar o interior do aeroporto e centenas de pessoas juntam-se agora às que estão a ser assistidas no exterior.

Última atualização às 06:37

  • "É extremamente difícil para a Turquia conseguir travar todos os tipos de atentados"
    6:04

    Atentado em Istambul

    Álvaro Vasconcelos considera que será "extremamente difícil para a Turquia conseguir travar todos os tipos de atentados tentados ou que possam vir a ser planeados". O ex-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos Internacionais considera que este facto deve-se, sobretudo, ao profundo envolvimento que o país tem com o conflito sírio, tanto pela sua posição a Assad como pelo seu apoio aos EUA no combate ao Daesh.

  • Explosões provocaram pelo menos 28 mortos e 60 feridos em Istambul
    7:42

    Mundo

    Um tiroteiro e duas explosões fizeram, segundo o ministro da Justiça da Turquia, pelo menos 28 mortos. As explosões foram ataques suicidas: os suspeitos detonaram os explosivos antes de passarem pelo sistema de segurança de raio-X no check-in. Cerca de 60 pessoas ficaram feridas, seis delas com gravidade. Ao telefone, o general Rodolfo Begonha explica como é difícil evitar este tipo de ataques.

  • "É importante não nos precipitarmos sobre as causas" do atentado na Turquia
    3:35

    Opinião

    Não havendo uma reivindicação do atentado desta noite no aeroporto de Istambul, o especialista em questões de terrorismo, Felipe Pathê Duarte, defende que é necessário não haver precipitação quanto às suas causas. O especialista lembra que a Turquia tem sido alvo de vários ataques com um "modos operandi" semelhante ao do Daesh mas que também têm sido reivindicados por movimentos pró-curdos bem como outros movimentos de extrema esquerda.

  • Ataque na Turquia vai causar impacto na campanha eleitoral nos EUA
    3:55

    Opinião

    O ataque desta noite no aeroporto de Istambul vai causar impacto na campanha eleitoral à Casa Branca devido ao constante apelo ao medo por parte de Donald Trump, de acordo com Luís Costa Ribas. O correspondente da SIC acredita que a única linha de discurso possível de Obama sobre o ataque será intensificar o combate ao terrorismo e um reforço na cooperação com a Turquia para derrotar o Daesh.

  • Português no aeroporto de Istambul relata o que aconteceu
    6:39

    Mundo

    Marcos Barros é um passageiro português que estava no Aeroporto de Istambul quando se deram as explosões. O português relata os acontecimentos desta noite: ouviu aquilo que pareceu um tiro, seguido de explosões. Marco Barros conseguiu esconder-se numa loja com a esposa e estão ambos bem. Ninguém consegue sair do aeroporto e o português diz que há falta de informação, e por isso as pessoas sentem-se inseguras para sair.

  • É um ataque devastador para a Turquia
    6:18

    Atentado em Istambul

    Nuno Rogeiro explica que o ataque desta noite no aeroporto da Turquia é um ato desastroso numa altura em que o "país procurava ressuscitar" a indústria do turismo e que trará consequências negativas para o novo Governo recentemente promovido por Erdogan. O comentador da SIC explica ainda que um ataque num dos maiores aeroportos da Europa demonstra a existência de falhas de segurança. Apesar de até ao momento o ataque no aeroporto de Istambul ainda não ter sido reivindicado, Nuno Rogeiro defende a possibilidade de se tratar do Daesh, tendo em conta que a perda de território e a morte recente de um dos seus líderes poderá ter levado o grupo extremista a vingar-se do país.