sicnot

Perfil

Mundo

Marcha contra a lei laboral francesa junta 14 mil manifestantes em Paris

Catorze mil pessoas, segundo a polícia, e 55.000, segundo os sindicatos, participaram hoje em Paris numa marcha contra as alterações do Governo socialista francês à lei laboral, em que a polícia lançou gás lacrimogéneo sobre manifestantes que atiravam pedras.

IAN LANGSDON

A polícia deteve 38 pessoas, 27 das quais antes do protesto e que foram impedidas de nele participar por transportarem potenciais armas de arremesso.

Horas após a tensa marcha realizada sob um forte dispositivo de segurança, e uma greve que encerrou a torre Eiffel, o Senado francês, dominado pela direita, aprovou a sua versão das altamente contestadas reformas destinadas a travar o desemprego liberalizando o mercado de trabalho.

Sete sindicatos apresentaram hoje aquilo que designaram como resultados parciais de uma sondagem pública sobre o projeto de lei, em que 92% dos 700.000 inquiridos se manifestaram pela sua retirada.

O Presidente francês, François Hollande, disse na semana passada que o seu Governo iria "até ao fim" para aplicar as reformas, que são encaradas pelos críticos como demasiado pró-empresariais e uma ameaça aos direitos dos trabalhadores.

"É essencial não só permitir que as empresas possam contratar mais", mas aumentar a formação que levará a mais emprego, defendeu.

O primeiro-ministro, Manuel Valls, vai reunir-se com líderes sindicais na quarta e na quinta-feira, mas já indicou que não está aberto a mais alterações ao texto que já foi "atenuado".

Valls, que tem sido alvo de críticas devido à sua posição inflexível quanto às reformas laborais, cedeu pouco ao concordar com a realização das reuniões.

O gabinete do primeiro-ministro disse que sindicalistas e chefe do executivo iriam "rever" a situação, mas "não se trata de reabrir um ciclo de negociações".

Philippe Martinez, secretário-geral do sindicato radical CGT, disse esperar que o encontro não seja uma mera "visita de cortesia apenas para tomarem um café".

Os sindicatos sustentam que o principal ponto de atrito é uma medida que dá prioridade a acordos negociados entre as empresas e seus funcionários sobre acordos alcançados com os sindicatos em setores industriais inteiros -- nomeadamente em matéria de número de horas de trabalho.

Os dois lados não se encontram desde o início de março, embora Valls tenha telefonado aos líderes sindicais a 28 de maio.

A marcha de hoje à tarde é o 11.º protesto contra a reforma laboral desde 09 de março, muitos dos quais desembocaram em violência, com feridos e detenções.

Lusa

  • Manifestações contra reforma da lei laboral em França terminam com 26 feridos
    0:43

    Mundo

    Pelo menos 26 pessoas ficaram feridas e quinze foram detidas em Paris, durante uma manifestação contra a reforma da lei do trabalho. As mudanças estão em fase de debate e o protesto foi organizado por vários sindicatos e por organizações de estudantes que dizem que as alterações vão levar à perda de direitos dos trabalhadores. Na Praça dos Inválidos, na capital francesa, os confrontos com a polícia. As autoridades responderam com gás lacrimógeneo. As greves de hoje fecharam a Torre Eiffel e interromperam ligações de transportes, numa altura em que milhares de adeptos estão em trânsito, em França, para assistir aos jogos do Euro 2016. Os protestos estenderam-se a outras cidades do país. O correspondente do Expresso em Paris, Daniel Ribeiro, relatou, por telefone, o que se passa por esta altura nas ruas de França.

  • Habitantes de Almeida barricaram-se durante seis horas em agência da CGD
    2:31

    País

    Perto de 100 pessoas estiveram esta quarta-feira barricadas na agência da Caixa Geral de Depósitos em Almeida, distrito da Guarda. O protesto contra o encerramento da agência só terminou quase seis horas depois, com a garantia que os autarcas serão recebidos na próxima terça-feira pela Administração do banco público. 

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Trump volta a apelar ao fim do programa nuclear de Pyongyang
    1:43

    Mundo

    Donald Trump voltou a apelar à Coreia do Norte para que abandone o programa nuclear e opte pela via do diálogo. O Presidente dos Estados Unidos chamou à Casa Branca, para uma reunião extraordinária, todos os senadores norte-americanos para serem informados sobre a atual crise com a Coreia do Norte.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Papa apelou à revolução da ternura
    0:52
  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.

  • Diário de John F. Kennedy vendido por 660 mil euros

    Mundo

    Um diário escrito por John F. Kennedy quando jovem, durante uma curta passagem pelo jornalismo, depois da II Guerra Mundial, foi vendido por mais de 700 mil dólares (642 mil euros), informou esta quarta-feira uma casa de leilões.