sicnot

Perfil

Mundo

Partidos afetos ao Governo venezuelano vão pedir dissolução do parlamento

O Grande Pólo Patriótico (GPP) anunciou hoje que vai solicitar, na próxima semana, ao Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela a dissolução do parlamento, onde a oposição detém a maioria.

© Handout . / Reuters

O GPP integra partidos afetos ao Governo do Presidente Nicolás Maduro.

O anúncio foi feito pelo porta-voz do partido Podemos, Didalco Bolívar, que justificou a iniciativa com a alegada "usurpação de funções (do Executivo), violação da Constituição em leis que não correspondem com as atribuições constitucionais, por traição à pátria e abuso de autoridade em política exterior, que não lhe (ao parlamento) corresponde".

"Além disso, pedimos que a dissolução seja acompanhada por uma convocatória de (novas) eleições parlamentares", acrescentou.

Didalco Bolívar, que foi governador do Estado de Arágua, acusou ainda o parlamento de "usurpar as funções do Conselho Nacional Eleitoral e do Supremo Tribunal de Justiça, de violar direitos constitucionais e de insistir em solicitar uma intervenção internacional no país".

"A maioria relativa da MUD (Mesa de Unidade Democrática, aliança de partidos da oposição) acredita que é um poder constituinte capaz de usurpar funções e derrogar leis aprovadas no Governo de Hugo Chávez (que presidiu à Venezuela entre 1999 e 2013) e por isso que seja o povo a decidir que tipo de Assembleia Nacional quer", frisou.

No passado dia 31 de maio, o secretário-geral da Organização de Estados Americanos (OEA), Luís Almagro, solicitou a ativação da Carta Democrática Interamericana na Venezuela, iniciando um processo que poderá levar à suspensão daquele país como membro da organização.

A iniciativa dá sequência a um pedido formalizado a 19 de maio pelo parlamento venezuelano, para que a OEA ativasse a Carta, face à crise social e política do país.

A 23 de junho, o Conselho Permanente da OEA iniciou uma análise de um relatório apresentado por Luís Almagro sobre a situação venezuelana.

O artigo 20.º da Carta Democrática Interamericana prevê que a mesma pode ser ativada se num Estado membro daquele organismo ocorrer "uma alteração da ordem constitucional que afete gravemente a sua ordem democrática", devendo agora os membros daquele organismo decidir sobre a ativação da mesma.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.