sicnot

Perfil

Mundo

Polónia vai desmantelar monumentos que glorificam Exército vermelho

A Polónia vai desmantelar mais de 200 monumentos evocativos do Exército Vermelho e que recordam a influência soviética na Polónia após a Segunda guerra mundial, e transferi-los para um parque próprio.

Wojtek Jakubowski

"Não há motivo que os monumentos à memória do Exército vermelho, que invadiu o país por duas vezes [em 1920 durante a guerra polaco-bolchevique e em 1939 em simultâneo com a Alemanha de Hilter] e que é responsável por numerosos crimes após a guerra, sejam glorificados", considerou Pawel Ukielski, presidente-adjunto do Instituto polaco da memória nacional (IPN).

O projeto inscreve-se na nova abordagem histórica do partido nacionalista-conservador Direito e Justiça (PiS), que regressou ao poder em 2015 e que procura eliminar todos os vestígios associados ao antigo regime comunista.

"Não se tratam de monumentos erguidos nos cemitérios. Os túmulos dos soldados soviéticos que caíram durante a guerra continuam a ser protegidos pelo Estado polaco com o maior respeito", assegura o historiador.

Em contraste, "os monumentos ditos de 'gratidão ao Exército vermelho' serão transferidos para Borne Sulinowo" (noroeste do país), onde as tropas soviéticas na Polónia estiveram estacionadas durante cerca de meio século", precisou.

O desmantelamento em 2015 de uma placa comemorativa do general Ivan Tcherniakhovski em Pieniezno (norte), onde este militar foi morto em fevereiro de 1945 durante combates com o exército alemão, suscitou na ocasião uma forte reação de Moscovo.

"Esperamos que este projeto não tenha consequências negativas nas relações entre a Polónia e a Rússia", sugeriu Ukielski.

"Os 229 monumentos soviéticos desmantelados vão ser disseminados por todo o país, mas sobretudo no noroeste da Polónia", precisou.

O futuro parque poderá ser inaugurado em setembro de 2017. Será explicado aos visitantes "o significado e a função destes monumentos durante a ditadura comunista", acrescentou Ukielski.

As autoridades locais receberam instruções para desmantelar estes monumentos de forma discreta "para evitar provocações e manifestações, como sucedeu em Pieniezno", disse à agência noticiosa France-Presse a porta-voz do IPN, Agnieszka Sopinska-Jaremczak.

Lusa

  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lajes
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes. Os passageiros desembarcaram, como registou no Twitter um jornalista da Al-Jazzera que seguia a bordo. Segundo este depoimento, uma pessoa foi levada para o hospital com problemas cardíacos.

  • Óscar do turismo para empresa que gere património de Sintra
    1:51

    Cultura

    A Parques de Sintra ganhou, pelo quarto ano consecutivo, os World Travel Awards na categoria de "Melhor Empresa de Conservação do Mundo". A empresa portuguesa, que gere monumentos, parques e jardins situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz, voltou a ser a única nomeada europeia na categoria, e foi a vencedora entre candidatos de todo o mundo.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.