sicnot

Perfil

Mundo

Senado francês aprovou hoje a reforma laboral

O Senado francês aprovou hoje o projeto de lei da reforma laboral, com 185 votos a favor e 156 contra, tendo a maioria de direita manifestado o seu apoio.

Thibault Camus

O texto vai regressar à Assembleia Nacional, constituída maioritariamente por deputados dos partidos de esquerda, antes de ser submetido a uma votação ainda não confirmada.

O Executivo do primeiro-ministro, Manuel Valls, já avisou que vai recorrer, se for necessário, ao artigo 49.3 da Constituição para avançar com a lei sem que os deputados procedam à votação, face às dificuldades para alcançar o apoio da maioria dos deputados.

O projeto da chamada "lei El Khomri" -- em alusão à ministra do Trabalho, Myriam el Khomri -- contou, no Senado, com o apoio do partido republicano, liderado pelo ex-Presidente da República Nicolas Sarkozy e a oposição dos socialistas, dos comunistas e ecologistas.

A votação ocorreu durante mais uma manifestação nas ruas de Paris.

Catorze mil pessoas, segundo a polícia, e 55.000, segundo os sindicatos, participaram hoje numa marcha contra as alterações do Governo socialista francês à lei laboral, em que a polícia lançou gás lacrimogéneo sobre manifestantes que atiravam pedras.

Os sindicatos, encabeçados pela central sindical CGT, baseiam as suas críticas no segundo artigo do texto, que estabelece a supremacia dos contratos de trabalho dentro de cada empresa sobre os acordos setoriais.

Lusa

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Os Simpsons já sabiam em 1998 que a Fox iria pertencer à Disney

    Cultura

    Os Simpsons acertaram outra vez. Algo que tem acontecido regularmente nos últimos tempos, com a eleição de Donald Trump, o aparecimento do vírus Ébola ou o escândalo dos Panama Papers. Desta vez, a previsão remonta a 1998, quando a série previu que a 20th Century Fox iria pertencer à Disney.

    SIC