sicnot

Perfil

Mundo

Redes sociais são principal fonte de notícias para metade dos consumidores

Mais de metade (51%) dos consumidores de 26 países, Portugal incluído, usa as redes sociais como fonte de notícias pelo menos uma vez por semana, revela o estudo do Digital News Report 2016, do Reuters Institute.

O primeiro Dia Mundial das Redes Sociais celebrado em Portugal foi em 2010

O primeiro Dia Mundial das Redes Sociais celebrado em Portugal foi em 2010

© Thierry Roge / Reuters

Cerca de 12% dos inquiridos afirmou que as redes sociais são a sua fonte principal de notícias, sendo que o Facebook "é de longe a mais importante rede para encontrar, ler/ver e partilhar notícias", refere o estudo recentemente divulgado.

Por outro lado, o estudo indica que as redes sociais são "mais importantes para as mulheres" e para "os mais novos".

Mais de um quarto dos inquiridos com idades compreendidas entre os 18 e os 24 anos afirmou que a rede social (28%) é sua fonte principal de notícias, ultrapassando pela primeira vez a televisão (24%).

"Para quem vê informação na rede social o local de origem da informação é cada vez mais irrelevante e isso é trágico para os meios tradicionais", apontou Luís Santos, professor de jornalismo da Universidade do Minho.

Em termos de acesso à informação, os smartphones (telemóveis inteligentes) foram o equipamento eleito por mais de metade (53%) da amostra, enquanto a utilização do computador está em queda e o crescimento do tablet está a estagnar.

Outra das principais conclusões do Digital News Report é que, apesar das plataformas de media estarem a disponibilizar notícias de vídeo por razões comerciais, os consumidores ainda estão resistentes em aderir em massa a este formato.

Três quartos dos inquiridos (78%) disse preferir as notícias de texto, sendo que as razões apontadas por não utilizarem o vídeo deve-se ao facto de ser mais conveniente e rápido ler a informação (41%) e o incómodo da publicidade antes do visionamento do mesmo (35%).

Luís Santos sublinhou que o estudo demonstra que "os media sociais são cada vez mais uma fonte de informação chave para as pessoas" e que a evolução "ainda nem sequer estabilizou".

O Facebook é a rede social preferida dos inquiridos (44%), que conta com uma amostra de pouco mais de 2.000 pessoas por cada país.

O Youtube é também uma rede chave (19%), enquanto o Twitter continua como uma importante rede social para notícias (10%), preferida por jornalistas e políticos, em particular.

Além disso, as redes sociais não são apenas importantes para descobrir notícias, mas também para encorajar a discussão e partilha das mesmas.

Cerca de um quarto dos novos utilizadores de Internet (24%) partilha notícias via rede social em média por semana e são pessoas que tendem a gostar de debater temas como política, negócios, tecnologia ou ambiente.

Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França, Itália, Espanha, Portugal, Irlanda, Noruega, Suécia, Finlândia, Dinamarca, Bélgica, Holanda, Suíça, Áustria, Hungria, República Checa, Polónia, Grécia, Turquia, Coreia do Sul, Japão, Austrália, Canadá e Brasil são os países analisados neste estudo.

"O ambiente de notícias de media em Portugal é caracterizado pela elevada confiança nas fontes de notícias de televisão, um setor de imprensa fraco e um setor de rádio que luta para se manter relevante", conclui o estudo, na análise por países.

O relatório aponta ainda que Portugal assistiu a uma redução de 1.218 jornalistas entre 2007 e o início de 2015, para um total de 5.621.

Relativamente ao pagamento de notícias na Internet, o estudo aponta que este continua baixo (9%), com um lento crescimento das subscrições digitais.


Lusa

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.