sicnot

Perfil

Mundo

Cardeal de Lyon afasta quatro padres por suspeitas de pedofilia

O cardeal Philippe Barbarin, responsável pela diocese de Lyon, afastou quatro sacerdotes por suspeitas de pedofilia depois de consultar um painel de especialistas.

Laurent Cipriani

A diocese anuncia que foram identificados quatro padres e que os mesmos já foram afastados do sacerdócio. Garante ainda que decidiu aplicar "medidas de acompanhamento especiais" para os outros casos em investigação. Até ao momento não foram avançados nomes, mas segundo revela o "Le Figaro" uma fonte autorizada garante que no total estarão implicados doze padres.

A decisão do cardeal Barbarin, teve por base "novos padrões na luta contra os abusos sexuais". A diocese avança mesmo com duas medidas sancionatórias: "cada padre envolvido em atos de agressão sexual, qualquer que seja a época dos factos e data da descoberta do mesmo, vai ser definitivamente afastado"; "cada sacerdote suspeito de prática de abuso sexual, vai ser objecto de acusação ou julgamento perante um tribunal penal".

Entretanto já foi aberta uma investigação canónica no seio da igreja francesa.

  • Detido dono do cão que feriu criança com gravidade

    País

    O dono do cão de raça Rottweiler que esta terça-feira feriu com gravidade uma criança de quatro anos em Matosinhos foi detido pela PSP e o animal já foi recolhido no canil municipal, informou fonte oficial da autarquia.

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Desconhecem-se as causas do incêndio na fábrica da Tratolixo
    0:43

    País

    Os moradores de Trajouce, em São Domingos de Rana, não ganharam para o susto com um incêndio nas instalações da empresa de resíduos Tratolixo.O alerta foi dado por populares e trabalhadores da empresa. O vento foi o maior problema dos bombeiros no combate às chamas durante a noite. No local estiveram 133 homens, apoiados por 51 viaturas.Desconhecem-se para já as causas do incêndio. O incêndio foi circunscrito de madrugada, mas pode demorar algumas horas a ser dominado.

  • Duas execução no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.