sicnot

Perfil

Mundo

Quase 29 crianças e adolescentes são assassinados por dia no Brasil

Quase 29 crianças ou adolescentes são assassinados por dia no Brasil, de acordo com um relatório divulgado hoje, que mostra um aumento de 476% neste tipo de mortes em 23 anos.

© Adriano Machado / Reuters

O "Relatório Violência Letal Contra as Crianças e Adolescentes do Brasil", elaborado pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais, mostra que em 2013, último ano em análise, 10.520 crianças e adolescentes foram vítimas de homicídio.

O estudo revela também que armas de fogo estiveram presentes em 78,2% dos homicídios de crianças e adolescentes de até 17 anos.

Os assassinatos têm um crescimento acentuado na entrada da adolescência, aos 12 anos, quando representam 6,7% do total de mortes, e alcançam o pico aos 17 anos, quando atingem a marca de 48,2% da mortalidade.

Segundo os dados recolhidos pelo autor do estudo, Julio Jacobo Waiselfisz, crianças e adolescentes negros são vítimas de homicídio 178% mais do que brancos, tendo em conta o tamanho das respetivas populações.

O Brasil ocupa o 3.º lugar em homicídios de crianças e adolescentes no contexto de 85 países do mundo analisados, ficando atrás apenas do México e de El Salvador.

O relatório mostra ainda que, diariamente, quase duas crianças e adolescentes de até 18 anos cometeram suicídio em 2013.

Apesar de o Brasil ocupar a 43.ª posição entre os países com mais suicídios, o número tem vindo a aumentar, sendo que os municípios com mais mortalidade suicida são locais com fortes comunidades indígenas.

Enquanto houve um aumento de homicídios, mortes em acidentes de transporte e suicídios, as causas naturais como motivo de morte entre crianças e adolescentes diminuíram 78,5% em 23 anos, para 83,4 em 2013.

Lusa

  • Younes Abouyaaqoub, o homem mais procurado de Espanha
    1:53
  • Vila de Gavião viu-se cercada pelas chamas
    2:17
  • Telemóveis pessoais foram alternativa ao SIRESP no Sardoal
    1:20

    País

    O presidente da Câmara Municipal do Sardoal disse hoje que a rede SIRESP voltou a falhar durante os últimos cinco dias. Miguel Borges acrescentou que os operacionais no terreno recorreram várias vezes aos seus telemóveis particulares para comunicar.

  • Costa desafia PSD para pacto depois das autárquicas
    1:14