sicnot

Perfil

Mundo

UNITA recorda que condenação de ativistas angolanos provocou "indignação"

A União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) expressou hoje o seu "pleno regozijo" pela libertação condicional dos jovens ativistas angolanos, cuja condenação "indignou imenso a opinião pública nacional e internacional".

A reação do maior partido da oposição à libertação, quarta-feira, em Luanda, de 16 dos 17 jovens ativistas angolanos, conhecido como processo dos 15+2, condenados a penas entre os 02 anos e 03 meses e 08 anos e meio de prisão por atos preparatórios de rebelião e associação de malfeitores, foi emitida em comunicado distribuído à imprensa.

A UNITA agradeceu igualmente ao povo angolano e à comunidade internacional, que por variadas formas "dispensou atenção a este julgamento político".

"A luta pela liberdade no nosso país está cheia de julgamentos políticos como foram os tristemente célebres Processo dos 50 e processo 36. É pois, de lamentar, que em pleno século XXI e na vigência de uma Constituição democrática, o povo angolano tenha ainda de assistir a mais julgamentos políticos como foram os casos de (José) Marcos Mavungo [ativista condenado e libertado este ano em Cabinda], o processo dos 15+2 e outros julgamentos menos conhecidos", lê-se no comunicado.

A UNITA manifestou ainda o desejo de que "no prazo de tempo mais curto possível, a liberdade dos 15+2 seja total" e que a sua libertação represente "o fim dos julgamentos políticos" em Angola.

"Temos de caminhar para a consolidação de um verdadeiro regime democrático e isso não é compatível com a existência de presos políticos", é referido na nota.

Do grupo de 17 ativistas angolanos, 16 foram postos em liberdade condicional na sequência do provimento do Tribunal Supremo ao 'habeas corpus', apresentado pela defesa após a condenação a 28 de março.

Um dos ativistas, Manuel Chivonde "Nito Alves" vai manter-se na cadeia até 08 de agosto, no âmbito de um outro processo sumário, no qual foi condenado a 08 de fevereiro a seis meses de prisão efetiva, por injúrias proferidas durante o julgamento, no tribunal de Luanda.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.