sicnot

Perfil

Mundo

UNITA recorda que condenação de ativistas angolanos provocou "indignação"

A União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) expressou hoje o seu "pleno regozijo" pela libertação condicional dos jovens ativistas angolanos, cuja condenação "indignou imenso a opinião pública nacional e internacional".

A reação do maior partido da oposição à libertação, quarta-feira, em Luanda, de 16 dos 17 jovens ativistas angolanos, conhecido como processo dos 15+2, condenados a penas entre os 02 anos e 03 meses e 08 anos e meio de prisão por atos preparatórios de rebelião e associação de malfeitores, foi emitida em comunicado distribuído à imprensa.

A UNITA agradeceu igualmente ao povo angolano e à comunidade internacional, que por variadas formas "dispensou atenção a este julgamento político".

"A luta pela liberdade no nosso país está cheia de julgamentos políticos como foram os tristemente célebres Processo dos 50 e processo 36. É pois, de lamentar, que em pleno século XXI e na vigência de uma Constituição democrática, o povo angolano tenha ainda de assistir a mais julgamentos políticos como foram os casos de (José) Marcos Mavungo [ativista condenado e libertado este ano em Cabinda], o processo dos 15+2 e outros julgamentos menos conhecidos", lê-se no comunicado.

A UNITA manifestou ainda o desejo de que "no prazo de tempo mais curto possível, a liberdade dos 15+2 seja total" e que a sua libertação represente "o fim dos julgamentos políticos" em Angola.

"Temos de caminhar para a consolidação de um verdadeiro regime democrático e isso não é compatível com a existência de presos políticos", é referido na nota.

Do grupo de 17 ativistas angolanos, 16 foram postos em liberdade condicional na sequência do provimento do Tribunal Supremo ao 'habeas corpus', apresentado pela defesa após a condenação a 28 de março.

Um dos ativistas, Manuel Chivonde "Nito Alves" vai manter-se na cadeia até 08 de agosto, no âmbito de um outro processo sumário, no qual foi condenado a 08 de fevereiro a seis meses de prisão efetiva, por injúrias proferidas durante o julgamento, no tribunal de Luanda.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.