sicnot

Perfil

Mundo

Google ativa cabo submarino de nove mil quilómetros entre os EUA e Japão

A empresa de tecnologia Google anunciou na quinta-feira a ativação de um cabo de Internet submarino de alta velocidade de nove mil quilómetros entre os Estados Unidos e o Japão, em que estava a trabalhar desde 2014.

© Eric Gaillard / Reuters

O cabo, batizado com o nome "Faster" (mais rápido), tem uma velocidade de 60 terabyte por segundo, dez milhões de vezes mais rápido que o típico modem e custou 300 milhões de dólares (cerca de 270 milhões de euros).

"Os utilizadores de Internet e nossos clientes no Japão devem ter notado que as coisas acontecem um pouco mais rápido. O nosso cabo submarino Faster entre o Japão e os Estados Unidos entrou hoje oficialmente ao serviço", afirmou através da Google Plus o vice-presidente da infraestrutura da Google, Urs Holzle.

O cabo é o mais potente de todos os cabos submarinos e uma das suas particularidades é o de emitir luzes de múltiplas cores em distintas frequências.

"Faster é um das várias centenas de cabos submarinos que ligam distintas partes do mundo e que, em conjunto, integram uma importante espinha dorsal que contribui para o funcionamento da Internet", explicou Holzle.

O primeiro cabo transoceânico, que se utilizou para comunicações, para se transmitir telegramas, foi instalado em 1906.

A maioria dos cabos funcionam dentro dos países e entre continentes, mas alguns cruzam oceanos como o Atlântico.

O cabo SEA-ME-WE 3, que liga a Europa à Austrália e Ásia, é o maior do mundo, com uma extensão de 39.000 quilómetros e 39 pontos de conexão terrestre.

O Facebook e a Microsoft estão atualmente a trabalhar no desenvolvimento de um cabo submarino, que se vai chamar Marea, e deverá estar pronto ainda este ano.

O Marea será o primeiro cabo a conectar os Estados Unidos com o sul da Europa, em concreto as cidades de Virgínia (Estados Unidos) e Bilbao (Espanha.

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.