sicnot

Perfil

Mundo

Obama pede ao Congresso financiamento para vacina em duas semanas

O Presidente dos EUA, Barack Obama, apelou hoje ao Congresso para aprovar o financiamento de 1,9 milhões de dólares (1,7 milhões de euros), que pediu em fevereiro para a criação de uma vacina contra o vírus Zika.

Jeff Chiu

Obama lamentou o tempo que já passou desde que o pedido foi feito e o facto de a legislação ser trabalhada noutro sentido, sem dar resposta ao assunto: "Está a ser feita a política habitual em vez de responder de forma inteligente a uma petição de saúde pública muito séria", disse aos jornalistas.

"O Congresso não devia ir-se embora (de férias) antes de cumprir esta tarefa. Quero que todos os cidadãos saibam que temos a possibilidade de criar uma vacina rapidamente para ajudar muita gente, sempre e quando o Congresso, nas próximas semanas, fizer o seu trabalho", afirmou o Presidente, que pretende conseguir o dinheiro nas próximas duas semanas.

Os senadores do partido Democrata bloquearam a 28 de junho o projeto-lei de financiamento da luta contra o Zika, depois das alterações feitas pelos eleitos do partido Republicano.

As alterações feitas pelos republicanos foram consideradas pelos democratas como medidas de "extrema-direita" e "não relacionadas" com o Zika.

Esta semana, o Ministério da Saúde, dos EUA e o Instituto Butantan, do Brasil, fecharam uma parceria para o desenvolvimento de uma vacina.

A 28 de junho foi anunciado que uma vacina testada em ratos tinha sido bem-sucedida em proteger ratos infetados com o vírus.

No início deste ano, a Organização Mundial de Saúde declarou a proliferação do Zika como sendo uma emergência de saúde pública global após a doença ser associada à microcefalia, uma malformação congénita em recém-nascidos.

O vírus está presente em 60 países, mas o país mais afetado é o Brasil. Segundo o Ministério da Saúde daquele país, podem ter registados mais de um milhão de casos em 2015.

Lusa

  • Europol deteve grupo que vendia euros falsos na Darkweb

    Mundo

    A Europol anunciou hoje a detenção de oito pessoas suspeitas de pertencerem a um grupo criminoso considerado como um dos maiores fornecedores de euros falsos vendidos online, no âmbito de uma operação realizada pelas autoridades italianas.