sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 25 mortos em ataques aéreos na Síria

Pelo menos 25 civis foram hoje mortos em ataques distintos da aviação do regime e da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos no norte da Síria, indicou o Observatório sírio dos direitos humanos (OSDH).

Arquivo

Arquivo

© Thaier Al-Sudani / Reuters

Em paralelo, o exército sírio acusou os rebeldes islamitas do grupo Jaich al-Islam de terem capturado e matado um dos seus pilotos algumas horas após a queda do seu avião perto de Damasco, mas este grupo responsabilizou a Al-Qaida.

Em Alepo, um mercado no bairro rebelde de Tariq al-Bab na zona leste da cidade foi atingido pela aviação do regime numa hora de grande afluência, provocando 11 mortos, segundo o OSDH.

Em simultâneo, cinco civis também morreram após outro 'raide' da aviação do regime contra Cheikh Said, um bairro rebelde no sul de Alepo, precisou o Observatório.

A mesma fonte referiu que dois civis foram mortos por bombardeamentos rebeldes sobre bairros governamentais. Desde julho de 2012 que a cidade está dividida entre setores rebeldes e setores controlados pelo regime de Damasco.

A coligação liderada pelos Estados Unidos também provocou a morte a duas mulheres e aos seus sete filhos durante ataques contra Minbej, um bastião dos 'jihadistas' do grupo Estado Islâmico (EI), que a aliança curdo-árabe das Forças democráticas sírias (HSD), apoiadas por Washington, tenta conquistar há nove dias.

Por sua vez, o exército sírio anunciou em comunicado a morte de um piloto, ao referir que após a queda do seu aparelho "aterrou em paraquedas numa região controlada pelos terroristas do Jaich al-Islam", explicando que o avião de despenhou "devido a um problema técnico durante um exercício".

Apoiado pela Arábia Saudita, o Jaich al-Islam (Exército do Islão) controla a maioria de uma zona periférica a leste da capital síria, regularmente bombardeada pelas forças governamentais e a aviação russa.

O grupo, acusado pelo regime de bombardear Damasco, afirmou ter abatido o avião e capturado o piloto, apresentado como um oficial pertencente à comunidade alauita, de que é originário o Presidente sírio Bashar al-Assad.

Mas algumas horas mais tarde o porta-voz do movimento, Islam Allouche, colocou na rede social Twitter uma foto do piloto prostrado no solo, com um tiro na nuca, e acusou um 'jihadista' da Frente Al-Nosra, ramo sírio da Al-Qaida, de o ter executado.

A guerra na Síria, iniciada em 2011, já provocou mais de 280.000 mortos e milhões de deslocados e refugiados, segundo números da ONU.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Pyongyang cria vídeo a simular ataque a navios dos EUA
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos da América pretendem reforçar as sanções à Coreia do Norte e investir nos esforços diplomáticos. Contudo, a tensão militar persiste. Pyongyang emitiu um vídeo em que simula um ataque a navios norte-americanos.

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.