sicnot

Perfil

Mundo

Mensagem anónima ameaça centenas de jornalistas no Irão

Centenas de jornalistas no Irão receberam uma mensagem de texto anónima a avisar contra o contacto com organizações "hostis" fora do país, noticiou a agência de notícias ISNA.

© Lucy Nicholson / Reuters

"Todo o contacto e colaboração com elementos hostis sediados no estrangeiro, por email ou outras formas de comunicação, é um crime e será levado à justiça. Este sms é o último aviso", dizia a mensagem, citada hoje pela Agência France Presse.

A imprensa iraniana noticiou que cerca de 700 jornalistas e figuras públicas receberam este sms na sexta-feira à noite.

O deputado Ali Motahari disse que a mensagem criou "preocupação entre os jornalistas".

"A ciber-polícia do Ministério dos Serviços Secretos tem de encontrar a origem deste sms e informar o público, e a justiça tem de atuar contra os responsáveis", acrescentou.

A Autoridade de Supervisão da Imprensa "é responsável pelos media e nenhum outro organismo deve interferir", defendeu.

Alguns jornalistas que receberam a mensagem disseram à comunicação social que tencionavam apresentar queixa.

O Irão proíbe os seus cidadãos de terem qualquer contacto com os meios de língua persa sediados no exterior, incluindo o serviço persa da BBC e a Voz da América.

Em abril, um tribunal iraniano condenou quatro jornalistas presos em novembro a penas entre cinco e dez anos de prisão, por "conspiração" com governos estrangeiros e atentado à "segurança nacional".

Lusa

  • As mulheres na clandestinidade durante o Estado Novo
    7:32

    País

    Não se sabe quantas mulheres portuguesas viveram na clandestinidade durante o Estado Novo, mas estiveram sempre lado a lado com os homens que trabalhavam para o Partido Comunista na luta contra a ditadura. Aceitavam serem separadas dos filhos e mudarem de identidade várias vezes ao longo dos anos. A história de algumas destas mulheres estão agora reunidas num livro que acaba de ser lançado.