sicnot

Perfil

Mundo

Morreu Elie Wiesel, Nobel da Paz e sobrevivente do Holocausto

O Prémio Nobel da Paz e sobrevivente dos campos de concentração nazis Elie Wiesel morreu hoje, aos 87 anos, nos Estados Unidos, informou o Museu do Holocausto de Jerusalém.

© Gary Cameron / Reuters

Wiesel era um dos escritores judeus mais conhecidos e um defensor da memória do Holocausto, através da educação.

Segundo o serviço de notícias israelita Ynet, o Prémio Nobel da Paz, de 1986, morreu na sua residência em Nova Iorque, quando estava acompanhado pela família.

Eliezer Wiesel, autor de mais de 30 ensaios e romances, nasceu, a 30 de setembro de 1928, na localidade húngara de Sighet, atual Roménia, mas é cidadão norte-americano desde 1963.

Considerado "um filho do genocídio", Elie tinha 15 anos quando foi deportado, juntamente com sua família, para o campo de concentração de Auschwitz, na Polónia, onde morreram a mãe e a irmã mais nova. Posteriormente, esteve no campo de Buchenwald, no leste da Alemanha, onde morreu o pai.

Quando terminou a II Guerra Mundial (1939-1945), foi estudar para a Universidade de Paris, tendo chegado a trabalhar como jornalista. A partir de 1976, deu aulas na Universidade de Boston, nos Estados Unidos.

Defensor dos direitos humanos, Wiesel denunciou o racismo e a violência em todo o mundo.

Entre as suas publicações mais conhecidas encontra-se "Trilogia da Noite", que escreveu a propósito das suas experiências nos campos de concentração, e que inclui "Noite" (1958), "Amanhecer" (1960) e "Dia" (1961).

Amigo do ex-Presidente francês François Mitterrand, escreveu as memórias deste, em 1995, sob o título "Memória a duas vozes".

Além do Nobel da Paz, Elie Wiesel foi agraciado com a Medalha Presidencial da Liberdade, concedida pelo Presidente dos EUA, com a Medalha de Ouro do Congresso norte-americano e com a Grã-Cruz da Ordem Nacional da Legião de Honra francesa.

Com a sua mulher, Marion Rose, criou a Fundação Elie Wiesel para a Humanidade.

Em maio de 2014, o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanhayu, propôs o seu nome para suceder a Shimon Peres como Presidente do Estado de Israel, mas Wiesel não tinha nacionalidade israelita para poder ocupar o cargo.

Lusa

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.