sicnot

Perfil

Mundo

Comissão de inquérito aos ataques de Paris recomenda agência nacional antiterrorismo

A comissão parlamentar francesa que investiga os ataques terroristas em Paris, em 2015, recomendou hoje a fusão dos serviços de informação do país numa única agência nacional.

Às 11:30 (12:30 em Lisboa), a polícia recebeu relatos de disparos na sede do Charlie Hebdo e enviou, de imediato, agentes para o local. Os autores dos disparos fugiram, mais uma vez gritando "Alá é grande", e ficaram frente-a-frente com a polícia, tendo-se desenrolado um tiroteio.

Às 11:30 (12:30 em Lisboa), a polícia recebeu relatos de disparos na sede do Charlie Hebdo e enviou, de imediato, agentes para o local. Os autores dos disparos fugiram, mais uma vez gritando "Alá é grande", e ficaram frente-a-frente com a polícia, tendo-se desenrolado um tiroteio.

© Christian Hartmann / Reuters

"Diante da ameaça do terrorismo internacional, precisamos ser muito mais ambicioso em termos de informação", disse o presidente da comissão de inquérito, Georges Fenech, recomendando a criação de "uma agência nacional antiterrorismo".

Dez meses após os atentados de janeiro de 2015, Paris voltou a ser alvo de novos ataques jiadistas a 13 de novembro, que fizeram 130 mortos, a maioria dos quais na sala de espetáculos Batacl

  • Vídeo mostra passagem da carrinha a alta velocidade nas Ramblas
    0:33
  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35

    Ataque em Barcelona

    Em Cambrils, também na Catalunha, foram mortos cinco alegados terroristas que atropelaram várias pessoas, uma morreu e seis ficaram feridas, quando escapavam a uma perseguição policial, esta madrugada. As autoridades investigam uma eventual relação entre os dois atentados. Nota: chamamos à atenção para a violência das imagens, que podem chocar os espetadores mais sensíveis.

  • Nível de ameaça terrorista em Portugal continua moderado
    1:31

    Ataque em Barcelona

    O primeiro-ministro garantiu hoje que, para já, o nível de ameaça terrorista em Portugal não vai ser alterado (o nível está no 4 em 5). Já o Presidente da República disse que não há tolerância possível e garante que há medidas preparadas caso o mesmo cenário venha a acontecer em Portugal.

  • Duas frentes "preocupantes" no concelho de Mação

    País

    A Proteção Civil chegou a dizer que a situação estava mais calma em Mação, mas durante a tarde desta sexta-feira surgiram duas frentes "preocupantes" junto às populações de Vale de Abelha e Ortiga, informou o presidente da Câmara.