sicnot

Perfil

Mundo

Comissão de inquérito aos ataques de Paris recomenda agência nacional antiterrorismo

A comissão parlamentar francesa que investiga os ataques terroristas em Paris, em 2015, recomendou hoje a fusão dos serviços de informação do país numa única agência nacional.

Às 11:30 (12:30 em Lisboa), a polícia recebeu relatos de disparos na sede do Charlie Hebdo e enviou, de imediato, agentes para o local. Os autores dos disparos fugiram, mais uma vez gritando "Alá é grande", e ficaram frente-a-frente com a polícia, tendo-se desenrolado um tiroteio.

Às 11:30 (12:30 em Lisboa), a polícia recebeu relatos de disparos na sede do Charlie Hebdo e enviou, de imediato, agentes para o local. Os autores dos disparos fugiram, mais uma vez gritando "Alá é grande", e ficaram frente-a-frente com a polícia, tendo-se desenrolado um tiroteio.

© Christian Hartmann / Reuters

"Diante da ameaça do terrorismo internacional, precisamos ser muito mais ambicioso em termos de informação", disse o presidente da comissão de inquérito, Georges Fenech, recomendando a criação de "uma agência nacional antiterrorismo".

Dez meses após os atentados de janeiro de 2015, Paris voltou a ser alvo de novos ataques jiadistas a 13 de novembro, que fizeram 130 mortos, a maioria dos quais na sala de espetáculos Batacl

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.