sicnot

Perfil

Mundo

Hungria anuncia referendo sobre relocalização de refugiados na UE

No dia 2 de outubro, os húngaros serão chamados a responder à pergunta: "Querem que a União Europeia decrete uma relocalização obrigatória de cidadãos não-húngaros sem a aprovação do parlamento húngaro?".

© John Schults / Reuters

A Hungria vai realizar, no dia 2 de outubro, um referendo sobre o plano de relocalização dos migrantes entre os Estados-membros da UE, anunciou hoje a presidência húngara, em declaração oficial do presidente Janos Ader.

Pretende-se que os cidadãos húngaros decidam se o parlamento terá, ou não, poder de aprovação sobre o decreto da União Europeia, que prevê a relocalização de 160 mil refugiados nos Estados-membros, que estão neste momento na Grécia e em Itália e que serão distribuídos pelos países europeus aceitem receber migrantes.

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, opõe-se à aplicação do plano da UE, justificando com a presença de terroristas entre os refugiados. O Governo de Budapeste tinha já anunciado, no início deste ano, que pretendia referendar esta mesma questão.

Os húngaros vão ser chamados a responder à seguinte pergunta: "Querem que a União Europeia decrete uma relocalização obrigatória de cidadãos não-húngaros na Hungria sem a aprovação do parlamento húngaro?".

Com Lusa

  • Obrigada a vir dos EUA, de 3 em 3 semanas, para ver o filho
    2:00

    País

    O episódio de hoje de Vidas Suspensas envolve uma médica dentista norte-americana e um empresário português. Um exemplo do que acontece a muitos portugueses que casam com estrangeiros: quando se divorciam, coloca-se a questão de saber para que país vão os filhos.

    Hoje na SIC

  • "Não era o jogo ideal para estreia do videoárbitro"
    4:50
  • Uma em cada dez crianças já foi vítima de cyberbullying
    10:41
  • "Sou Presidente de uma pátria com os melhores bombeiros do mundo"
    1:20

    País

    O Presidente da Liga dos Bombeiros, Jaime Marta Soares, avisou este domingo o Governo de que os bombeiros admitem usar o machado da paz para fazer a guerra. Marcelo Rebelo de Sousa destacou o orgulho que sente em ser "Presidente de uma pátria que tem os melhores bombeiros do mundo".