sicnot

Perfil

Mundo

Hungria anuncia referendo sobre relocalização de refugiados na UE

No dia 2 de outubro, os húngaros serão chamados a responder à pergunta: "Querem que a União Europeia decrete uma relocalização obrigatória de cidadãos não-húngaros sem a aprovação do parlamento húngaro?".

© John Schults / Reuters

A Hungria vai realizar, no dia 2 de outubro, um referendo sobre o plano de relocalização dos migrantes entre os Estados-membros da UE, anunciou hoje a presidência húngara, em declaração oficial do presidente Janos Ader.

Pretende-se que os cidadãos húngaros decidam se o parlamento terá, ou não, poder de aprovação sobre o decreto da União Europeia, que prevê a relocalização de 160 mil refugiados nos Estados-membros, que estão neste momento na Grécia e em Itália e que serão distribuídos pelos países europeus aceitem receber migrantes.

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, opõe-se à aplicação do plano da UE, justificando com a presença de terroristas entre os refugiados. O Governo de Budapeste tinha já anunciado, no início deste ano, que pretendia referendar esta mesma questão.

Os húngaros vão ser chamados a responder à seguinte pergunta: "Querem que a União Europeia decrete uma relocalização obrigatória de cidadãos não-húngaros na Hungria sem a aprovação do parlamento húngaro?".

Com Lusa

  • Défice cai 1.900 milhões até agosto

    Economia

    O défice das administrações públicas foi de 2.034 milhões de euros até agosto, uma "melhoria de 1.901 milhões" face ao mesmo período de 2016, segundo o Governo, que justifica com aumento superior a 4% da receita.

  • Atores recriam cena em que um homem é vítima de violência doméstica
    1:35
  • Ministério Público admite eventual detenção do presidente do governo da Catalunha
    2:24
  • Bispo vermelho

    "Recebia trabalhadores e sindicalistas, batia à porta de políticos e empresários, andava pelas ruas da cidade ao encontro dos que das ruas da cidade faziam casa". Joaquim Franco evoca Manuel Martins, o "bispo vermelho".

    Joaquim Franco

  • Apreendidos quase 7.000 comprimidos ilegais vendidos pela internet
    1:43

    País

    O Infarmed e a Autoridade Tributária apreenderam perto de 7.000 unidades de comprimidos ilegais.A apreensão aconteceu no âmbito de uma operação internacional da Interpol de combate aos medicamentos ilegais vendidos pela internet, explicou à SIC Luís Sande e Castro, diretor da Unidade de Inpeção do Infarmed.

  • Criar galinhas na cozinha, guerras no fogão, e drones dentro de casa
    7:28
  • Passageiro detido com 1 kg de ouro no reto

    Mundo

    Os funcionários da alfândega do aeroporto de Colombo, Sri Lanka, estranharam o comportamento de um passageiro que "caminhava com dificuldade". Um exame completo revelou a valiosa carga que levava escondida... no tubo intestinal.