sicnot

Perfil

Mundo

ADN materno tem papel importante no envelhecimento saudável

O material genético transmitido exclusivamente pela mãe tem um papel importante no envelhecimento saudável e também na predisposição para a obesidade, segundo um estudo realizado por cientistas espanhóis.

Reuters

"O metabolismo e o envelhecimento são determinados pela interação entre dois genomas, o genoma nuclear e o genoma mitocondrial", explicou Jose Antonio Enriquez, que dirigiu o estudo publicado hoje na revista cientifica Nature.

O genoma humano tem cerca de 23.000 genes, sendo que a maioria se encontra no núcleo da célula e que apenas 37 desses genes se encontram nas mitocôndrias, pequenas estruturas que envolvem o núcleo e que desempenham um papel essencial no metabolismo energético da célula.

O ADN mitocondrial é herdado unicamente da mãe, pois as mitocôndrias do esperma são destruídas durante a fertilização.

Os cientistas espanhóis trabalharam com duas linhagens de ratos que tinham o mesmo ADN nuclear, mas não o mesmo ADN mitocondrial. Todos os animais viveram no mesmo ambiente e foram alimentados da mesma maneira.

Enquanto não foram encontradas diferenças nos ratos mais jovens, aqueles que receberam as mitocôndrias "externas" desenvolveram posteriormente menos sinais de envelhecimento e menos obesidade do que aqueles que mantiveram o ADN mitocondrial de origem.

De acordo com Ana Latorre-Pellicer, cientista que participou no estudo, as alterações no ADN mitocondrial causaram "uma adaptação celular em animais jovens, o que permitiu um processo de envelhecimento saudável."

"Não vejo porque é que os resultados seriam diferentes em seres humanos", afirmou Enriquez, sublinhando a necessidade de se fazerem mais estudos para confirmar os resultados.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.