sicnot

Perfil

Mundo

Dois capacetes azuis mortos acidentalmente no Mali

Dois capacetes azuis morreram e um ficou ferido hoje na cidade de Kidal, no Mali, numa "explosão acidental de um morteiro" durante um exercício, anunciou a missão da ONU no país, Minusma.

© Afolabi Sotunde / Reuters

Num comunicado de imprensa, a Minusma não identifica a nacionalidade das vítimas.

"Esta manhã, por volta das 10:00 (09:00 em Lisboa), a explosão acidental de um morteiro resultou na morte de dois capacetes azuis da Minusma durante um exercício num campo de tiro em Kidal", lê-se no comunicado.

"A explosão causou também graves ferimentos a um outro capacete azul, que está a receber os cuidados médicos necessários", acrescentou.

"Está em curso um inquérito interno para saber quais as circunstâncias exatas deste acidente dramático", prossegue o comunicado, que conclui apresentando condolências aos familiares dos soldados, mas sem adiantar as nacionalidades.

A Minusma começou a operar em julho de 2013, na sequência da intervenção militar internacional desencadeada em janeiro de 2013 pela França contra grupos 'jihadistas'.

Estes movimentos, ligados à Al-Qaida, controlaram o norte do Mali durante cerca de dez meses, de março/abril de 2012 até janeiro de 2013.

A maioria daqueles movimentos foi expulsa pela intervenção militar francesa, mas ainda há zonas, sob controlo de forças do Mali e estrangeiras, sujeitas a ataques regulares.

Considerando o total de efetivos, a Minusma é entre todas as missões de paz em curso da ONU a que apresenta maior taxa de mortalidade.

Anteriormente a Minusma tinha 12.000 soldados e polícias e no final de junho, o Conselho de Segurança aprovou o envio de 2.500 capacetes azuis suplementares, para proteger os civis e os seus funcionários.

Lusa

  • Conselheira do Presidente dos EUA descreve Trump como um "homem bom e generoso"
    1:56
  • O que acontece quando se mistura tigres e um drone?
    0:59

    Mundo

    O que acontece quando se mistura tigres da Sibéria com tecnologia moderna? Um vídeo gravado na China apresenta os animais a correrem e a saltarem, tudo para apanhar aquele objeto tão estranho. Quando conseguem meter patas ao drone, o resultado só poderia ser um.