sicnot

Perfil

Mundo

Duplo atentado no Iémen mata pelo menos 14 pessoas

Subiu para 14 a previsão do número de mortos causados pelo atentado terrorista desta manhã no quartel Al Sulban, no sul do Iémen. Um veículo armadilhado explodiu nas imediações do porto de controlo, junto ao aeroporto internacional de Aden. Os atentados ainda não foram reinvidicados, embora a Al Qaeda e o Estado Islâmico operem na região.

© Fawaz Salman / Reuters

Aumentou para 14 o número de mortos no Iémen, entre os quais nove polícias e cinco atacantes, na sequência de um atentado ao quartel Al Sulban, em Adén, no sul do Iémen.

Segundo fontes oficiais citadas pela agência Efe, um atacante suicida fez explodir um carro armadilhado contra a entrada principal deste quartel de forças de segurança, no bairro de Jur Maksar, na zona oriental da cidade, onde se encontra instalado o governo provisório do país, assim como o Presidente, Abdo Rabu Mansur Hadi.

Após a explosão, dezenas de homens armados entraram no quartel através de um acesso localizado nas traseiras do edifício, enquanto a maior parte dos polícias se juntavam na entrada principal.

As mesmas fontes acrescentaram que os atacantes sequestraram um "número ainda não determinado" de efetivos da polícia, sendo que alguns ainda permanecem no interior do quartel.

Várias testemunhas disseram à Efe que se viam colunas de fumo a sair de dentro das instalações policiais que estavam a ser atacadas e que se ouviam também tiros e explosões, na sequência dos confrontos entre os atacantes e as forças de segurança.

Até ao momento, desconhece-se a organização que está por detrás do ataque mas, na região, operam o Estado Islâmico e a Al Qaeda, que aproveitaram o vazio de poder no sul do Iémen para lançar ataques contra objetivos governamentais.

O governo provisório de Hadi instalou a sede oficial em Adén no ano passado depois dos rebeldes huties terem expulsado o executivo de Sana, a capital do país, tendo provocado a fuga dos ministros para a Arábia Saudita.

Com Lusa

  • Kikas faz história
    1:22
  • Madonna está outra vez em Lisboa 😲
    0:59
  • Hindus pedem a troca de nome da cerveja brasileira Brahma

    Mundo

    Um grupo de hindus pediu a mudança da marca de cerveja Brahma, propriedade da multinacional cervejeira Anheuser-Busch InBev, com sede em Lovaina, na Bélgica, argumentando que é inapropriado uma bebida alcoólica ter o nome que um deus hindu.

  • Manuais oferecidos aos alunos do 1.º ano não podem ser reutilizados
    2:42

    País

    As escolas querem que sejam devolvidos aos alunos os manuais do 1.ºo ano que foram dados gratuitamente pelo Estado para serem reutilizados nos próximos anos. A Associação de Diretores de Agrupamentos diz que os livros estão praticamente todos em bom estado, mas da forma como são feitos pelas editoras é impossível voltar a usá-los. As escolas querem que o Executivo chegue a um entendimento com as editoras para conceber manuais reutilizáveis.

  • Portugal com 3.ª maior dívida pública da UE

    Economia

    A dívida pública recuou, em termos homólogos, na zona euro e na União Europeia (UE), no primeiro trimestre, tendo Portugal registado a terceira maior dos 28 (130,5%), depois da Grécia e de Itália, divulga hoje o Eurostat.