sicnot

Perfil

Mundo

Obama atrasa retirada militar do Afeganistão

O Presidente dos EUA anunciou hoje que não vai diminuir a presença das tropas norte-americanas no Afeganistão uma vez que a situação se mantém "perigosa". Até ao final de 2016, que coincide com o fim do seu mandato, permanecem no terreno 8400 soldados.

© Jonathan Ernst / Reuters

"Os talibãs continuam a ser uma ameaça (...). As forças de segurança afegãs ainda não são tão fortes como deveriam sê-lo", sublinhou Obama durante uma declaração na Casa Branca, na presença do chefe do Pentágono, Ashton Carter, e do chefe de estado-maior das Forças Armadas, general Joe Dunford.

"Em vez de uma redução para 5.500 tropas para o final deste ano, os Estados Unidos vão manter aproximadamente 8.400 tropas no Afeganistão no próximo ano e até ao final da minha administração", disse em conferência de imprensa.

A Casa Branca tinha-se comprometido em manter, a partir de 2017, 5.500 soldados num número reduzido de bases, incluindo Bagram (perto de Cabul), Jalalabad (leste) e Kandahar (sul).

"A decisão que hoje tomei permitirá ao meu sucessor apoiar-se em bases sólidas para continuar a obter progressos no Afeganistão, e possuir a flexibilidade necessária para responder à evolução da ameaça terrorista", acrescentou Obama, eleito em 2008 com a promessa de pôr fim às duas guerras do Iraque e Afeganistão.

"Não deixarei que o Afeganistão seja utilizado como um refúgio para terroristas", sustentou, ao retomar uma fórmula já utilizada em diversas ocasiões.

Apesar de a intervenção em larga escala desencadeada após os atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos ter sido oficialmente concluída em 2014, Obama foi forçado a ajustar por diversas vezes o calendário de retirada das tropas.

As primeiras discussões diretas entre o Governo de Cabul e os talibãs decorreram em julho de 2015, mas a segunda sessão foi adiada 'sine die' após o anúncio da morte do mullah Omar, fundador do movimento talibã.

Os insurgentes exigem a retiraram dos cerca de 13.000 militares estrangeiros ainda deslocados no Afeganistão como condição prévia ao recomeço das negociações.

Mais de 2.300 soldados norte-americanos foram mortos no Afeganistão, a mais longa intervenção militar dos Estados Unidos fora das suas fronteiras.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.