sicnot

Perfil

Mundo

Pistorius condenado a 6 anos de prisão pela morte da namorada

Oscar Pistorius foi condenado a 6 anos de prisão pela morte da sua namorada, Reeva Steenkamp. A sentença foi hoje anunciada pela juíza Thokozile Masipa. É o culminar do mais mediático julgamento na África do Sul.

© POOL New / Reuters

A juíza Thokozile Masipa, cuja primeira sentença foi anulada pelo Supremo, defende na nova resolução que o condenado "não é uma pessoa violenta" e mostrou arrependimento e disposição para realizar trabalhos sociais.

"É um herói caído, perdeu a carreira e a sua paz, a sua vida nunca mais voltará a ser a mesma", argumentou a magistrada para justificar uma sentença inferior ao mínimo de 15 anos, prevista pela Justiça sul-africana para um crime de homicídio.

Na opinião de Masipa, Pistorius é "um bom candidato para a reabilitação", como demonstrou no ano que passou na prisão, durante o qual "superou com êxito" vários programas de reinserção.

Existem "muitos mais" fatores atenuantes, como o auxílio imediato que prestou à vítima e o "verdadeiro arrependimento" que a juíza considerou ter sido demonstrado pelas desculpas públicas apresentadas pelo atleta. Pistorius tentou também pedir desculpa à família da namorada, que recusou receber o atleta.

Oscar Pistorius matou a namorada a 14 de fevereiro de 2013, com quatro tiros através da porta da casa de banho da sua casa de Pretoria.

O corredor alegou ter confundido Reeva Steenkamp com um intruso e disparado em pânico, uma versão aceite pela juíza Thokozile Masipa, que o condenou, no final de 2014, a cinco anos de prisão efetiva por homicídio involuntário.

Pistorius cumpriu cerca de um ano na prisão, antes de ser colocado em regime de residência vigiada, previsto na lei sul-africana.

O Supremo anulou a sentença da primeira instância ao considerar que houve intenção de matar, sabendo ou não quem estava do outro lado da porta da casa de banho, e declarou o atleta culpado de homicídio voluntário.

A sentença de hoje aumenta em um ano a condenação inicial, mas recusa a pena mínima de 15 anos de prisão, pedida pelo Ministério Público. A defesa já anunciou que não vai recorrer.

Quinze anos de prisão é a pena mínima prevista pela lei sul-africana para homicídio, mas os juízes têm o direito de decidir uma pena menor em circunstâncias excecionais.

Com Lusa

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35

    País

    A data para as próximas eleições autárquicas já gerou consenso. 1 de outubro é a data pedida pelos vários partidos ouvidos esta segunda-feira por António Costa. Na próxima quinta-feira, no Conselho de Ministros, o dia de ir às urnas vai ser escolhido.