sicnot

Perfil

Mundo

Polónia confia na NATO para fazer frente à ameaça russa

O ministro polaco da Defesa, Antoni Macierewicz, afirmou hoje que a decisão da NATO reforçar a presença militar no leste da Europa é "um primeiro passo" para fazer frente ao "maior nível de ameaça" proveniente da Rússia.

Antoni Macierewicz, ministro polaco da Defesa

Antoni Macierewicz, ministro polaco da Defesa

© Kacper Pempel / Reuters

Macierewicz manifestou desta forma confiança na decisão que será tomada na Cimeira da Aliança Atlântica nos próximos dias 8 e 9 em Varsóvia, onde os chefes de Estado e do Governo dos 28 Estados-membros formalizarão a decisão já tomada pelos ministros aliados da Defesa de deslocar quatro batalhões de 800 a 1.000 efetivos militares cada um, numa base de rotação, para a Polónia e para as ex-repúblicas soviéticos no Mar Báltico, Estónia, Letónia e Lituânia.

Na opinião de Antoni Macierewicz, por outro lado, as conversações entre a Aliança e Moscovo - que se seguirão à cimeira no próximo dia 13 no quartel-general aliado em Bruxelas no âmbito do Conselho permanente NATO-Rússia - deverão centrar-se unicamente na "retirada" russa do solo ucraniano.

O ministro polaco da Defesa recordou a posição de Varsóvia - forte aliada do Governo de Kiev nos fóruns internacionais -- segundo a qual, "com a Rússia, há que falar sobre quando e como vão retirar-se dos territórios ocupados", na Ucrânia, explicou, de acordo com a agência France Press.

"Enquanto o Kremlin não mudar de atitude, a Rússia deve ser tratada como a maior ameaça para a paz na Europa e no mundo", acrescentou.

A anexação russa da península ucraniana da Crimeia em 2014 e o comportamento de Moscovo no conflito na Ucrânia será o principal tema na agenda da cimeira aliada desta sexta-feira e sábado.

Lusa

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.