sicnot

Perfil

Mundo

Identificado suspeito do tiroteio de Dallas

O homem suspeito de ter disparado na noite de quinta-feira sobre agentes da polícia em Dallas, provocando cinco mortos e sete feridos, foi identificado como Micah Xavier Johnson, 25 anos, residente no Estado do Texas, referiram hoje media norte-americanos.

LM Otero

Johnson vivia em Mesquite, um subúrbio da cidade de Dallas, indicaram as cadeias televisivas CBS News e NBC News. Foi morto após longas horas de tensão com a polícia logo após os disparos, que também feriram dois civis.

Ao citar um responsável policial não identificado, a CNN referiu que Johnson não tinha registos criminais ou ligações conhecidas a grupos extremistas.

A cadeia televisiva divulgou o que referir ser uma fotografia do suspeito, um homem negro vestido com uma túnica de estilo africano a levantar o braço direito com o punho cerrado, o símbolo do "Black Power".

Johnson esteve incorporado no exército dos Estados Unidos até abril de 2015, disse a ABC News, onde foi treinado na especialidade de carpintaria e alvenaria.

Antes, a polícia de Dallas já tinha referido que o principal suspeito do tiroteio tinha dito aos negociadores, quando se encontrava cercado, não estar filiado em qualquer grupo.

O suspeito disse ainda aos negociadores estar revoltado com as recentes mortes de negros pela polícia norte-americana, e que pretendia matar brancos, em particular polícias brancos.

Johnson foi morto pela polícia após várias horas de negociações e de trocas de tiros, após se ter refugiado num edifício perto do percurso de uma manifestação que decorria na cidade em protesto pela recente morte de dois negros, abatidos por agentes policiais na Luisiana (sul) e Minnesota (norte).

Em Varsóvia, onde participa na cimeira da NATO, o Presidente Barack Obama ordenou que as bandeiras sejam colocadas a meia haste na sequência do tiroteio.

Lusa

  • Milhares de pessoas protestam contra violência policial contra as minorias
    0:41

    Mundo

    Depois da manifestação em Dallas que provou cinco mortes e seis feridos, também em Chicago milhares de pessoas sairam às ruas para protestar contra a violência policial com afro-americanos e outras minorias. A manifestação surge após as mortes, registadas em vídeo, de dois homens afro-americanos às mãos da polícia. Durante a manifestação em Chicago, várias pessoas discursaram, apelando a que haja mais resistência ao abuso de poder pelas autoridades.

  • "É preciso despartidarizar o sistema de Proteção Civil", diz Duarte Caldeira
    2:47
  • Homem morreu ao tentar salvar animais das chamas
    2:30
  • Arcebispo de Braga pede responsabilidades pelos incêndios
    1:40

    País

    Braga também sofreu um dos mais violentos incêndios dos últimos anos. O fogo descontrolado atravessou várias freguesias e destruiu duas empresas. A igreja, pela voz do arcebispo de Braga, pede ação e o apuramento de responsabilidades, face a esta calamidade.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06