sicnot

Perfil

Mundo

Resolvido problema matemático com 35 anos, mas leitura levará 10 mil milhões de anos

Um trio de informáticos britânicos e norte-americano apresentaram hoje a solução para um problema matemático com 35 anos, mas a sua verificação pode ser um outro problema, porque a sua leitura levará 10 mil milhões de anos.

Conhecido como "Atividade dos Triplos de Pitágoras", o problema era um enigma longo e sem solução, que levou o matemático Roland Graham a oferecer há 30 anos dinheiro a quem o resolvesse.

Os autodeclarados vencedores -- Marijn Heule, Oliver Kullmann e Victor Marek, das universidades do Texas, Swansea e Kentucky -- revelaram a resolução do problema durante a conferência internacional SAT 2016, que decorre em Bordéus, França.

Os informáticos desvendaram o enigma utilizando o programa "Cube-and-Conquer", o método do teste de satisfação e fiabilidade híbrido (SAD) para problemas difíceis.

Mas os colegas, disseram os informáticos, precisam de ver a prova.

"Devido ao interesse geral naquele problema matemático, o nosso resultado exige uma prova formal", afirmaram os informáticos.

O resultado, em símbolos, é o equivalente a "todos os textos digitalizados da biblioteca do Congresso dos Estados Unidos", cerca de 200 'terabytes' de dados, segundo o boletim do Centro de Pesquisa Científica francês.

O problema em si é (quase) incompreensível e questiona se é possível colorir números inteiros positivos (como 1,2,3,4,5...) a vermelho ou azul numa sequência de números que satisfaça o famoso Teorema de Pitágoras (a2+b2=c2).

Ou seja, se 'a' e 'b' forem vermelho, então o 'c' tem de ser azul, mas os três não podem ser todos vermelhos ou azuis.

A prova mostra que o esquema de coloração é, de facto, possível, mas só até ao número 7.824.

A análise aos números levou dois dias e foi feita pelo supercomputador Stampede do Centro de Informática Avançada do Texas.

Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".