sicnot

Perfil

Mundo

Forças Armadas Revolucionárias negam existência de milícias urbanas na Colômbia

O negociador das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) com o Governo colombiano, Félix Antonio Muñoz, "Pastor Alape", negou a existência de milícias urbanas e exortou à construção da paz nas cidades, durante uma visita no fim de semana ao país.

© Fredy Builes / Reuters

"Poderão existir outros grupos de grupos de violência urbana nas principais cidades da Colômbia, mas não são das FARC", afirmou Alape durante uma visita ao aglomerado de Pueblo Nuevo, no departamento de Antioquia (noroeste), onde está a ser aplicado um projeto de substituição voluntária de cultivos ilícitos.

O dirigente das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC, a principal guerrilha do país) definiu como "provocadoras" as declarações do procurador colombiano Alejandro Ordóñez, segundo as quais o Governo calcula existirem cerca de 8.000 milicianos das FARC, e que não vão desmobilizar.

"Isso está na imaginação do procurador. Falar de milícias urbanas são atitudes provocatórias", disse Alape, para quem estas declarações contra o processo de paz são feitas "pelos que estão a chorar porque a guerra está ferida de morte; estão a golpear".

O chefe guerrilheiro acrescentou que "o país está sintonizado com a paz" e que a guerrilha das FARC está "completamente comprometida" com este objetivo.

O chefe guerrilheiro negou a existência de duas frentes das FARC que não vão desmobilizar quando for assinado o acordo de paz definitivo entre as duas partes, previsto para as próximas semanas, mas considerou "bastante preocupante" que não estejam a decorrer negociações com outros grupos amados e considerou que "a paz sem o ELN (Exército de Libertação Nacional, segundo movimento guerrilheiro colombiano) não é completa".

Nesta perspetiva, não considerou positivo que o dia 20 de julho seja a data limite para a assinatura do acordo geral de paz, ao considerar que os prazos "são fatais neste processo" e que o país deve entender que existe a disposição para promover uma paz definitiva.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.