sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 35 mil venezuelanos passam fronteira com a Colômbia para comprar alimentos

Mais de 35 mil venezuelanos cruzaram no domingo a fronteira com a cidade de Cúcuta, no norte da Colômbia, para comprar alimentos e medicamentos que escasseiam na Venezuela, revelaram as autoridades colombianas.

© Carlos Eduardo Ramirez / Reut

Caracas decidiu abrir parcialmente esta passagem fronteiriça, para peões, que estava encerrada desde agosto de 2015.

Segundo residentes no Estado venezuelano de Táchira, pelas 20:00 locais de domingo (00:30 de hoje em Lisboa) a fronteira permanecia aberta, duas horas depois do momento de encerramento que havia sido anunciado pela Guarda Nacional Bolivariana (GNB, polícia militar da Venezuela).

Em declarações aos jornalistas, o diretor do Plano Fronteiras para a Prosperidade do Governo colombiano, Víctor Bautista, anunciou que "se for necessário, a fronteira permanecerá aberta até à meia noite".

Imagens divulgadas nas redes sociais e pela imprensa venezuelana dão conta de grande presença de venezuelanos junto de padarias, supermercados, farmácias e lojas de câmbios, onde trocavam os bolívares venezuelanos por pesos colombianos, apesar de alguns estabelecimentos comerciais aceitarem as duas moedas.

As fotos mostram ainda venezuelanos a transportar grandes sacos com óleo, farinha de milho, massa, feijão e papel higiénico, entre outros produtos que, dizem, custam menos da metade do que na Venezuela.

São também visíveis alguns cartazes agradecendo à Colômbia por ser solidária com a Venezuela.

Na última terça-feira, mais de 500 venezuelanas romperam o cordão de segurança da GNB e foram até Cúcuta comprar medicamentos e alimentos.

Um dia depois, o Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, anunciou que iria propor ao seu homólogo venezuelano, Nicolás Maduro, a reabertura da fronteira.

"Jamais vamos permitir que os nossos irmãos venezuelanos passem fome e necessidade de medicamentos", disse a ministra colombiana de Relações Exteriores, Maria Ângela Holguin.

Em 14 de junho, uma mulher de 44 anos morreu afogada quanto tentava atravessar um rio entre a Venezuela e a Colômbia para adquirir um medicamento que escasseia em território venezuelano.

A 19 de agosto de 2015, Maduro ordenou o encerramento da ponte Simón Bolívar, principal passagem entre a cidade colombiana de Cúcuta e as localidades venezuelanas de San António e Ureña.

Cinco dias depois, as autoridades venezuelanas decretaram o estado de emergência em seis municípios fronteiriços com a Colômbia, justificando a medida com o combate a grupos paramilitares, ao narcotráfico e ao contrabando.

O estado de emergência foi depois estendido a 20 municípios, abrangendo os estados venezuelanos de Táchira, Zúlia e parte de Apure.

Desde o encerramento da fronteira, mais de 1.355 colombianos foram repatriados e mais de 19 mil abandonaram a Venezuela voluntariamente, segundo fontes não oficiais.

Lusa

  • Habitantes de Almeida barricaram-se durante seis horas em agência da CGD
    2:31

    País

    Perto de 100 pessoas estiveram esta quarta-feira barricadas na agência da Caixa Geral de Depósitos em Almeida, distrito da Guarda. O protesto contra o encerramento da agência só terminou quase seis horas depois, com a garantia que os autarcas serão recebidos na próxima terça-feira pela Administração do banco público. 

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Trump volta a apelar ao fim do programa nuclear de Pyongyang
    1:43

    Mundo

    Donald Trump voltou a apelar à Coreia do Norte para que abandone o programa nuclear e opte pela via do diálogo. O Presidente dos Estados Unidos chamou à Casa Branca, para uma reunião extraordinária, todos os senadores norte-americanos para serem informados sobre a atual crise com a Coreia do Norte.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Papa apelou à revolução da ternura
    0:52
  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.

  • Diário de John F. Kennedy vendido por 660 mil euros

    Mundo

    Um diário escrito por John F. Kennedy quando jovem, durante uma curta passagem pelo jornalismo, depois da II Guerra Mundial, foi vendido por mais de 700 mil dólares (642 mil euros), informou esta quarta-feira uma casa de leilões.