sicnot

Perfil

Mundo

Viver perto da água melhora (mesmo) a saúde mental

Todos gostamos de paisagens marítimas, contemplar o oceano, rios, lagos. Parece haver algo com a água que nos tranquiliza e a ciência vem confirmar os efeitos benéficos que a presença de água tem para a saúde mental.

© Hugo Correia / Reuters

Viver perto da água - seja mar, seja rio ou mesmo um pequeno lago - chega a ultrapassar os benefícios dos espaços verdes. Um estudo, publicado na revista Health & Place, concluiu que quem vive perto da água tem uma saúde mental melhor do que quem vive noutros lugares.

Os investigadores tiveram o cuidado de olhar para outros fatores, como o poder económico das pessoas e o nível de stress em que vivem, mas chegaram sempre à conclusão de que, se houver água por perto, o bem-estar psíquico é sempre superior.

Que poder tem então a água?

Relativiza e põe as coisas em perspetiva. Contemplar o movimento das águas e ouvir o som, sentir o cheiro fresco, acalma a alma, comprovam os investigadores. É algo maior que nós próprios, os nossos problemas, o que ajuda a colocar a nossa vida noutra perspetiva. Mesmo que não tenhamos consciência disso, o nosso subconsciente trabalha nesse sentido.

O ar do mar sempre foi uma das recomendações dos médicos para várias maleitas. Muitas vezes aconselhado a pacientes em que tudo indicava que a saúde física estava bem e os médicos suspeitavam que era a saúde mental que estava em causa. A verdade é que algum tempo perto do mar sempre fez as pessoas sentirem-se melhor.

Não é, por isso, por acaso que um dos destinos de férias preferidos é a beira-mar. Cheiros, sons, cor, o movimento incessante das ondas e regular, todos os nossos sentidos sentem o bem estar que a água oferece.

  • Kikas faz história
    1:22
  • Madonna está outra vez em Lisboa 😲
    0:59
  • Nove fatores que aumentam o risco de demência

    Mundo

    Um em cada três casos de demência podia ter sido evitado sem recorrer a medicamentos. Um estudo publicado na revista científica The Lancet explica como é possível evitar a demência e quais os fatores que contribuem para a doença.

  • Hindus pedem a troca de nome da cerveja brasileira Brahma

    Mundo

    Um grupo de hindus pediu a mudança da marca de cerveja Brahma, propriedade da multinacional cervejeira Anheuser-Busch InBev, com sede em Lovaina, na Bélgica, argumentando que é inapropriado uma bebida alcoólica ter o nome que um deus hindu.

  • Manuais oferecidos aos alunos do 1.º ano não podem ser reutilizados
    2:42

    País

    As escolas querem que sejam devolvidos aos alunos os manuais do 1.ºo ano que foram dados gratuitamente pelo Estado para serem reutilizados nos próximos anos. A Associação de Diretores de Agrupamentos diz que os livros estão praticamente todos em bom estado, mas da forma como são feitos pelas editoras é impossível voltar a usá-los. As escolas querem que o Executivo chegue a um entendimento com as editoras para conceber manuais reutilizáveis.

  • Portugal com 3.ª maior dívida pública da UE

    Economia

    A dívida pública recuou, em termos homólogos, na zona euro e na União Europeia (UE), no primeiro trimestre, tendo Portugal registado a terceira maior dos 28 (130,5%), depois da Grécia e de Itália, divulga hoje o Eurostat.