sicnot

Perfil

Mundo

Cerca de 4.500 pessoas detidas em operação policial no sul e leste de África

Cerca de 4.500 pessoas foram detidas numa ação contra o tráfico de pessoas, drogas e armas numa operação policial na África central e oriental, anunciou hoje a Interpol.

© Alessandro Bianchi / Reuters

A operação resultou de uma ação conjunta das organizações regionais de polícia da África Austral (SARPCCO) e Oriental (EAPCCO).

A ação decorreu nos dias 29 e 30 de junho, envolvendo mais de 1.500 agentes em 22 países numa operação designada Usalama III, que inclui a luta contra o terrorismo, roubo de veículos e tráfico de marfim e animais selvagens.

Em causa está a apreensão de drogas, armas, passaportes falsos e marfim no valor de 1,8 milhões de euros, incluindo 88.000 comprimidos de Fenetilina (anfetaminas), redes de pesca ilegais e 5,5 toneladas de cobre roubado.

No decorrer da investigação foram recuperados 30 veículos roubados e feita uma detenção, com base num mandado de prisão internacional.

"Operações como Usalama III mostram o que é possível de alcançar quando as forças de ordem trabalham em colaboração estreita na luta contra a delinquência transnacional", disse o presidente da EAPCCO, Joseph Boinnet, inspetor-geral da Polícia Nacional de Quénia.

A SARPCCO integra Angola, Botsuana, Lesoto, Malaui, ilhas Maurícias, Moçambique, Namíbia, África do Sul, Suazilândia, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabué, enquanto a EAPCCO tem como Estados-membros o Burundi, Djibuti, Etiópia, Eritreia, Quénia, Ruanda, Seychelles, Somália, Sudão e Uganda.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15