sicnot

Perfil

Mundo

Israel aprova lei polémica sobre financiamento de ONG

​O parlamento israelita aprovou hoje uma lei polémica que obriga as organizações não-governamentais (ONG) a fazerem uma declaração oficial às autoridades quando a maioria do seu financiamento é oriundo de governos de outros países.

© Ronen Zvulun / Reuters

Os críticos dizem que a lei visa as organizações que defendem os direitos dos palestinianos. Foi aprovada com 57 votos a favor e 48 contra.

"A lei pretende responder ao fenómeno das ONG que representam interesses de Estados estrangeiros, sob a cobertura de organizações locais que procuram servir os interesses do povo israelita", lê-se no preâmbulo da legislação agora aprovada pelos deputados.

O primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, afirmou que o objetivo da lei é "evitar uma situação absurda em que Estados estrangeiros se imiscuem nos assuntos internos de Israel financiando ONG e sem que o povo israelita tenha consciência disso".

"Ao contrário das reivindicações da esquerda, a aprovação desta lei vai aumentar a transparência, contribuir para criar um discurso que reflete a opinião pública israelita e reforçar a democracia", escreveu Netanyahu na sua página no Facebook, depois da votação no parlamento.

O líder da oposição, Isaac Herzog, afirmou que esta lei constitui "os botões [de flores] do fascismo que floresce em Israel".

Para o líder da bancada de uma aliança de vários partidos árabes, Ayman Odeh, a lei procura "intimidar e fazer desaparecer as organizações que se batem na esfera pública pela igualdade" de tratamento para os árabes.

Diversas ONG israelitas recebem grandes fatias de financiamento do estrangeiro, incluindo de governos europeus.

Com Lusa

  • Negócios do fogo
    22:00

    Reportagem Especial

    Todos os anos, o Estado gasta centenas de milhões de euros para financiar os meios de combate aos incêndios. A reportagem especial da SIC denuncia falta de rigor e clareza em muitos dos negócios.

  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.